PUBLICIDADE
Topo

Blog do Juca Kfouri

O Flamengo como em 2019!

só para assinantes

Juca Kfouri

06/07/2022 23h16

O Tolima chegou ao Maracanã lotado cheio de vontade, talvez por achar que repetiria no Rio o que fizera em Belo Horizonte, ao vencer o América e o Atlético.

Mas o Flamengo não lhe deu a menor chance de botar as manguinhas de fora, diante de quase 61 mil torcedores.

Com atuação exuberante, em 20 minutos já estava 2 a 0 e a vaga para as quartas de final da Libertadores assegurada, para enfrentar o Corinthians.

Pedro fez 1 a 0, aos 5', em belíssima combinação com Dom Arrascaeta, e Quiñónes fez contra o 2 a 0, quando o goleiro deu rebote em arremate de Gabigol, que havia recebido do calcanhar de Pedro, a bola bateu no zagueiro e entrou.

O jogo estava liquidado, 3 a 0 no placar agregado, e nem por isso o Flamengo tirou o pé como nos bons tempos de 2019, com apuro técnico, belas jogadas, vibração, enfim, o Mengão que a Nação quer ver.

E quem disse que Gabigol e Pedro não podem jogar juntos?

Até Rodinei jogava muito bem, sem ter de defender e eficiente no apoio.

Chegou o intervalo e era previsível que o time voltasse menos intenso, para descansar e pensar na pré-estreia das quartas de final, neste domingo, em Itaquera, às 16h.

Só que logo aos 47', Dom Arrascaeta pôs a bola na cabeça de David Luiz que deu a Pedro para fazer 3 a 0 e, com o Tolima mortinho, talvez partir para golear.

Arturo Vidal, no Maracanã, ficava extasiado com o tamanho da festa.

Gabigol não poderia passar em branco e, aos 56', tratou de fazer 4 a 0 com a classe que trouxe do berço.

Por questão de educacao, concedeu-se um gol aos colombianos, a Quiñónez, em retribuição ao que havia feito contra: 4 a 1.

Mas também educação tem limites e Pedro tabelou com Rodinei para fazer o 5 a 1, o triplete dele, aos 67', com direito a drible seco sensacional do lateral antes de botar a bola na cabeça do artilheiro.

Pedro estava iluminado e deu passe para mais um gol, para o menino Matheus França, aos 72': 6 a 1, 7 a 1, no agregado.

Um é pouco, dois é bom, três é demais, e quatro, o que é?

Pois Gabigol soltou uma bomba, o goleiro reboteou e, aos 80', Pedro fez 7 a 1.

O show foi tamanho que o desmantelado Corinthians tem com o que se preocupar, e muito, pelo Brasileirão neste fim de semana.

A Libertadores são outros 500, porque o alvinegro deverá estar mais inteiro para dois jogos sensacionais.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/jucakfouri/

Blog do Juca Kfouri