PUBLICIDADE
Topo

Blog do Juca Kfouri

4 de julho de 2012

só para assinantes

Juca Kfouri

04/07/2022 00h00

A noite de 4 de julho de 2012 estava iluminada por uma lua esplendorosa: a chamada lua de São Jorge.

Como cantou Caetano Veloso, com, aqui, três pequenas alterações:

Lua de São Jorge, lua deslumbrante
Azul alvinegro, cauda de gavião
Lua de São Jorge, cheia, branca e inteira
Oh, minha bandeira solta na amplidão
Lua de São Jorge, lua brasileira
Lua do meu coração!

Lua de São Jorge, lua maravilha
Mãe, irmã e filha de todo esplendor
Lua de São Jorge, brilha nos altares
Brilha nos lugares onde estou e vou
Lua de São Jorge, brilha sobre os mares
Brilha sobre o meu amor

Lua de São Jorge, lua soberana
Nobre porcelana sobre a seda azul
Lua de São Jorge, lua da alegria
Não se vê um dia claro como tu
Lua de São Jorge, serás minha guia
Na América de Norte a Sul

Ateus são seres solitários porque não têm o consolo de acreditar na vida depois da morte, nem têm a quem a recorrer nas horas mais decisivas.

Daí, no máximo, acreditarem, se não em Deus, na energia.

E o dia nasceu com energia única em São Paulo no dia 4 de julho de 2012.

Era perceptível, podia até ser cortada com uma faca.

Na região do Pacaembu, então, já nem era energia, era matéria mesmo, dava para pegar com as mãos.

Daí ter chegado a noite com aquela lua a iluminar os dois gols corintianos que derrotaram o Boca Juniors e valeram a conquista da Libertadores pela primeira vez, sem nenhuma derrota em 14 jogos, façanha única até hoje no torneio.

Energia igual só uma vez: no dia 13 de outubro de 1977.

Mas essa é uma outra história, a de São Basílio.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/jucakfouri/

Blog do Juca Kfouri