PUBLICIDADE
Topo

Blog do Juca Kfouri

São Paulo, com oito, ajoelha a Católica

só para assinantes

Juca Kfouri

30/06/2022 23h24

O repeteco da final da Libertadores de 1993, quando o São Paulo venceu por 5 a 1 no Morumbi e tornou inútil o 0 a 2 em Santiago, desta vez, na capital chilena, foi tricolor.

Graças a um pênalti burro sobre Calleri que Reinaldo, para variar, converteu sem drama, e a Isla, o ex-flamenguista que bobeou na frente de Calleri, foi desarmado na área e o passe do argentino veio para Luciano fazer 2 a 0 ainda no primeiro tempo, dominado pelos brasileiros.

Um presente aqui, outro ali, aos 37 minutos, não teve dádiva, mas um golaço de Luciano, ao receber de Reinaldo e, com um toque só, entre dois zagueiros, fuzilar a meta andina para fazer 3 a 0. Show!

A Universidade Católica se ajoelhava diante do tricampeão continental na Copa Sul-Americana, na qual o São Paulo busca o bi.

Faltava o segundo tempo, exatamente o que preocupa o torcedor são-paulino.

E nem bem começou, eis que os chilenos diminuíram para 1 a 3. Epa! Zampedri, aos 47'.

E, aos 49', Igor Vinícius foi expulso.

Quem estava de joelhos, passou a fazer São Paulo rezar.

Mas Patrick entrou no jogo, no lugar de Luciano, deu uma caneta na linha de fundo, passou para Igor Gomes entregar a Calleri e o artilheiro meter no ângulo e fazer um golaço: 4 a 1, aos 63', com dez contra 11.

Quem estava ajoelhado, caía de quatro!

Miranda jogava uma barbaridade, mas, aos 71', Nestor também foi expulso, por um pisão feio, embora não intencional.

Ficaram 11 contra nove…

É claro, virou ataque contra defesa e Luizão substituiu Reinaldo, aos 82'.

Aos 86', Valencia diminuiu: 2 a 4.

Em seguida, Calleri também foi expulso.

Oito contra 11…

O baile virava drama.

Pablo Maia no lugar de Gabriel Neves, aos 89'.

O assoprador de apito deu seis minutos de acréscimos, menos do que deveria, talvez como compensação para arbitragem tão bizarra e caseira.

E o São Paulo segurou o 4 a 2. Fim de papo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/jucakfouri/

Blog do Juca Kfouri