PUBLICIDADE
Topo

Blog do Juca Kfouri

Galo vira e enlouquece o Mineirão

só para assinantes

Juca Kfouri

25/06/2022 21h56

Sem Hulk,machucado, e sem Nacho Fernández, suspenso, o Galo recebeu o Fortaleza de Romarinho que, aos 3 minutos e aos 28', fez dois belos gols para o time cearense.

O primeiro, uma pintura, da intermediária, e o segundo em contra-ataque, depois de falha de Rever como atacante.

O Mineirão vaiou o time no intervalo e, pela TV, a torcida do Leão do Pici via mais uma vez o time se aproveitar do que não tem no Castelão: um ótimo gramado.

O Galo teve a bola, mas só finalizou no fim, tamanha sua apatia.

Mas faltava o segundo tempo.

Para disputá-lo, Rubens, Fábio Gomes e Otávio entraram para fazer companhia a Vargas, que havia entrado aos 31' de jogo no lugar do zagueiro Júnior Alonso. Sasha, Allan e Guilherme Castilho ficaram no vestiário, porque o Turco Mohamed precisava fazer o Galo reagir.

Lembra que no ano passado o Fortaleza também derrotou o Atlético em BH, na primeira rodada e única derrota mineira em casa na temporada? Foram dois gols de Yago Pikachu, na virada por 2 a 1.

A exemplo do que já havia feito no Maracanã contra o Flamengo, o Fortaleza derrotava um dos favoritos ao título e resistia à pressão atleticana.

Ademir foi a última troca mineira, no lugar de Sávio.

Romarinho deu lugar a Silvio Romero na primeira troca cearense, aos 23'.

O Fortaleza se limitava à defesa e embora o Atlético não jogasse bem, aos 30', Rubens, de cabeça, diminuiu, aproveitando passe de Vargas.

Ficava complicado segurar a pressão e aos 41', Rever se redimiu e, de cabeça, empatou 2 a 2.

Ainda dava tempo para virar.

E deu! Arana pôs a bola na área, Vargas cabeceou, a bola desviou em Jussa que acabara de entrar e o 3 a 2 enlouqueceu 30 mil torcedores no Mineirão.

De cabeça, de cabeça e de cabeça. E pela cabeça de Turco Mohamed.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/jucakfouri/

Blog do Juca Kfouri