PUBLICIDADE
Topo

Blog do Juca Kfouri

Corinthians se classifica beirando o ridículo

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

26/05/2022 22h54

Aos 3 minutos em Itaquera, no primeiro ataque do fragílimo Always Ready, os bolivianos só não fizeram 1 a 0 porque Ivan, no lugar de Cássio, fez ótima defesa.

No último minuto do primeiro tempo, no segundo ataque dos bolivianos, Bambu fez uma lambança e Borja empatou o jogo 1 a 1.

Adson, que tinha dado um gol desperdiçado por Giuliano um minuto antes, recebeu do mesmo Giuliano e abriu o placar, aos 19 minutos, em jogo de absoluto domínio do misto alvinegro, mas sem nenhum brilho e pouco perigoso.

Para o segundo tempo era hora de tirar do banco tanto Renato Augusto quanto Willian para evitar o vexame.

Sofrer com o Boca Juniors, tudo bem; com o Deportivo Cali, vá lá, mas com o Always Ready, tenha a santa paciência.

Mostrando mais confiança que prudência, o Corinthians voltou igual.

Aos 55', finalmente, Renato Augusto, Willian e Jô foram para o jogo em busca da vitória obrigatória nos lugares de Mosquito, Roni e Júnior Moraes.

No primeiro chute de Willian a trave evitou o gol e o Boca Juniors fazia 1 a 0 na Bombonera assumindo a liderança do grupo.

Sim, a Fiel sofria e, convenhamos, sofrer, no caso, beirava o ridículo.

O Corinthians era uma pilha de nervos, a torcida pedia Roger Guedes e foi atendida aos 68', no lugar de Giuliano.

O empate bastava para classificar o Alvinegro, embora fosse pouco, muito pouco, para quem dava o primeiro lugar como certo.

Perder cinco pontos para os bolivianos era algo impensável.

Para piorar, Jö se machucou e teve de ser trocado, por ironia, aos 77', número de sua camisa em homenagem ao fim do jejum corintiano.

Du Queirós o substituiu.

Aos 80', Gil cabeceou no travessão…

Aos 86', Du Queirós recebeu de Adson para fazer o gol, mas chutou em cima do goleiro em vez de cavar.

Já havia dúvida se era melhor tentar fazer o segundo gol ou evitar a virada boliviana que eliminaria os brasileiros diante de 40 mil torcedores.

É claro, no finzinho, o goleiro Galarza fez duas ótimas defesas, porque faz parte do desespero.

E não minimiza o desempenho corintiano que beirou o ridículo.

Poderia ter sido 4 a 0? Poderia. Mas foi 1 a 1.

E Roger Guedes? Tanto faz como tanto fez. Nada.

O Boca é o primeiro do grupo

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/jucakfouri/

Blog do Juca Kfouri