PUBLICIDADE
Topo

Blog do Juca Kfouri

Corinthians cardíaco traz ponto precioso da Bombonera

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

17/05/2022 23h27

O Corinthians pisou no gramado em Buenos Aires para enfrentar uma camisa seis vezes campeã continental e três vezes campeã mundial, além de um estádio mágico chamado La Bombonera.

O time do Boca Juniors está longe de ser o que já foi.

Vitor Pereira foi corajoso ao escalar a defesa com três zagueiros, mas temerário ao deixar Gil no banco, porque por mais que ele não seja mais o que já foi, tem a experiência que falta a Raul Gustavo, Robson Bambu e João Vitor.

Armado para se defender, o Alvinegro deu só um chute ao gol durante todo o primeiro tempo, aos 15 minutos, e foi gol, de Du Queirós.

Depois de correr muitos riscos, os brasileiros tomaram o empate de Benedetto, se aproveitando de uma espanada de Raul Gustavo, aos 42'.

A pressão no segundo tempo era tamanha que logo aos 56', Cantillo, Mantuan e Renato Augusto, substituíram Maycon, Bambu e Willian, irreconhecível.

Antes disso, Cássio havia feito uma grande defesa, ao evitar gol feito.

À medida que o tempo passava a tensão aumentava e escaramuças se sucediam, com o Boca querendo ganhar na marra e o Corinthians não querendo jogar.

Cantillo, aos 69', foi expulso infantilmente ao agredir Fernández, assim como Vitor Pereira. É sempre assim e os brasileiros não aprendem.

Finalmente, aos 76', Gil entrou no lugar de Piton.

Segurar o empate com um a menos seria altamente valioso. Mas parecia impossível.

Aos 80', Jô pediu para sair e Junior Moraes entrou.

Aos 90', Salvio perdeu o gol da virada ao cabecear livre na frente de Cássio.

O Corinthians quase matou a Fiel do coração e com o coração trouxe o ponto que praticamente garante o primeiro lugar no grupo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/jucakfouri/

Blog do Juca Kfouri