PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Novos Meninos da Vila dão calor ao Colorado à Beira-Rio

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

28/11/2021 20h53

O Santos foi ao Beira-Rio para jogar à moda Carille.

E fez tão pouco no primeiro tempo que, no último minuto, Luíz Felipe, contra, abriu a contagem para o Inter, depois que Patrick bateu cruzada uma bola que pegou em rebote do goleiro João Paulo.

Pronto!

Perdido por um, perdido por dez, o Santos foi à frente no segundo tempo e, no primeiro minuto, Marcos Leonardo, 18, empatou.

Se 0 a 0 parecia bom, 1 a 1 não agradou ao Santos que passou a jogar como se estivesse na Vila Belmiro.

Marcos Leonardo deu um passe genial para Madson virar e ele chutou em cima de Marcelo Lomba que, logo depois, evitou também um gol de Ângelo, 16.

Só aos 19 minutos o Inter reagiu, com sua primeira finalização, na trave, em arremate de Maurício depois de contra-ataque.

O Santos, fora de casa, tomando contra-ataque?

Pois é, porque sentiu que poderia vencer e, aí, é inevitável conceder espaços.

Mas a nova fornada de Meninos da Vila dava um calor danado no Colorado, com Pirani, 19, comandando a companhia.

Verdade que daí em diante o Inter tomou vergonha e fez João Paulo trabalhar com chutes de fora da área.

O empate não interessava a ninguém, menos ainda ao anfitrião Inter em sua briga para chegar ao 8º lugar.

O Santos, afinal, que também pode aspirar uma vaga na Libertadores que já venceu três vezes, antes de mais nada tratou de escapar da queda.

Moisés, que já havia perdido gol feito no começo do jogo, perdeu outro no fim, para irritação da torcida vermelha, de raiva.

O empate ficou pior para os gaúchos até porque se alguém fez por vencer foram os santistas.

O Santos foi a 46 pontos, em 11º lugar, e o Inter ficou com 48, em 9º, um ponto atrás do Ceará que tem um jogo a menos.

Fábio Carille há de ter gostado. Diego Aguirre certamente não.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri