PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Ba-Vô e Gre-Nau

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

29/11/2021 18h46

POR HUMBERTO MIRANDA*

POR HUMBERTO MIRANDA*

Em tempos pandêmicos, tudo muda. Os velhos clássicos do futebol desaparecerem e os grandes clubes fazem campanhas pífias. O Flamengo é um fracasso absoluto, a grande decepção da temporada. Podia tudo e, de repente, nada.

O Palmeiras trouxe um português para chamar de seu mister e venceu com um futebol de gente pequena. Ou, para não soar preconceituoso, um futebol verdinho, longe de ser verdão. Eu cheguei a pensar que Abel era pastor daquelas ovelhas. Não eram porcos? Agora, todos eles sofrem. É a sofrência individual a serviço de deus, uma autovitimização alienada e em busca de recompensa. Vigarice eterna de jogador endinheirado e em dívida com a empresa da atual presidenta. Deus acima de todos e negócios por toda parte. Ser bicampeão em cima do imbatível Mengão não é pra qualquer um, mas eles atribuem a deus. Fazer o quê?

Até o Majestoso não entusiasmou ninguém nessa temporada. O São Paulo, com mito e tudo, anda vacilante. Paga a aposentadoria de Daniel na Europa e por aqui amarga o meio da tabela. O Corinthians foi jogando pelas beiradas, sem que ninguém prestasse atenção, sem badalação… Era mesmo o Timão? Até quando parece não ter rumo nem direção ele chega. Isto é incrível.

Enquanto isso, no Nordeste, o Vitória aprontou mais uma. Não quis seguir o exemplo do rival, trouxe seu velho cartola, Paulo Carneiro, de volta. A diretoria em crise, time idem. Resultado: rebaixamento para a série C. O Vitória corre o mesmo risco do Santa Cruz de acabar ficando na D. Agora, o clássico Bavi é coisa do passado. Bahia e Ceará disputam todo ano a hegemonia. É o Ba-Vô.

Inusitado mesmo é o provável descenso do Grêmio. Até o imortal está se abalando fácil. Renato Gaúcho recebeu uma boa herança de Roger, mas não deixou nada, além de sua estátua, no Olímpico. A diretoria do Grêmio quis tanto reeditar a Batalha dos Aflitos em Salvador que poderá realizar o intento ano que vem em Recife. Vamos ter Gre-Nau na série B?

Somente o Galo, sem rival também, reina absoluto. Trouxe o monstro Hulk e bastou. Minha alegria foi ver o choro de Reinaldo, eterno Rei, na arquibancada e o retorno do Botafogo à série A. Dá até esperança…

Bora baheeeea. Pois o dragão do Atlético Goianiense cospe fogo, mas não assusta.

*Humberto Miranda é professor de Economia na UNICAMP e confia tanto no Bahia que escreveu antes do jogo de daqui a dez minutos contra o Atlético Goianiense, em Goiânia.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri