PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Sem Hulk, com Nacho, Galo engole o Peixe

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

13/10/2021 20h49

O ex-cruzeirense Raniel recebeu na entrada da área no começo do segundo tempo, girou o corpo e arrematou rente à trave, mas para dentro do gol.

O Galo que, sem Hulk, machucado,e com Nacho Fernandez no banco, pouco fizera no primeiro tempo, ficava apenas oito pontos à frente do Flamengo, oito que poderiam ser dois e ainda faltando enfrentar os cariocas.

O Santos, 17 jogos atrás, havia sido o último time a ganhar dos mineiros, e tomava seis pontos deles.

Mineiros que tinham do que reclamar, porque Zaracho havia sido puxado na área por Wagner Leonardo e o assoprador de apito nada marcou.

É engraçado ouvir quem diga que o puxão não foi suficiente para derrubar, como se puxar a camisa fosse permitido.

Futebol é sim jogo de contato, mas não de puxão na camisa.

O jogo ficou tenso com o gol praiano.

Nacho e Sasha já estavam em campo após o intervalo e Cuca lançou mão de Calebe e Tchê Tchê depois do 1 a 0.

Foi exatamente Calebe quem sofreu pênalti para Nacho empatar, aos 23 minutos.

Na nova saída, Zanocelo cabeceou no cocoruto do travessão para sorte de Everson.

Seria complicado para o Santos segurar o empate com o Galo no gramado e a massa na nuca, quase 17 mil torcedores.

E não demorou muito para o Galo virar, porque, aos 29', Nacho bateu falta da direita na cabeça de Nathan Silva fazer 2 a 1.

Seis minutos depois outra vez Calebe foi derrubado na área, outra vez Nacho bateu, João Paulo defendeu e o argentino pegou o rebote de cabeça para fazer 3 a 1.

O Galo segue absoluto, em busca da taça que vale meio século.

A massa está em tal estado de graça que até o nome do santista Tardelli cantou.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri