PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

São Paulo joga como quase nunca e empata como quase sempre

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

14/10/2021 21h05

Se todas as chances claras criadas só no primeiro tempo entre São Paulo e Ceará tivessem virado gols, os 45 minutos iniciais, que foram 53 porque o jogo teve interrupções em demasia, teriam terminado 5 a 3 para os donos do Morumbi.

Como o se não joga e sorte e falta de sorte também têm a ver com ansiedade ou calma, o intervalo chegou com a vitória do Vozão por 1 a 0, num golaço de Fabinho em paulada indefensável para Volpi, que já havia feito grande defesa antes e fez outra depois.

Igor Gomes e Luciano atingiram a trave cearense, Richard fez duas ótimas defesas e Luciano desperdiçou incrivelmente um rebote.

O Ceará que Rogério Ceni conhece bem frustrava a reestreia do Mito tricolor.

Era o 19º jogo de Ceni como treinador contra o Vozão, com seis vitórias dele, sete do alvinegro e cinco empates.

Pela Série A, Ceni ganhou uma vez, pelo Fortaleza, empatou outra, pelo Cruzeiro, e perdeu três, duas pelo Fortaleza e uma pelo Flamengo, no Maracanã. E perdia pelo São Paulo, no Morumbi.

Mas tinha todo o segundo tempo e o Tricolor começou já obrigando Richard a fazer outra boa defesa, assim como Volpi, em seguida, evitou o 2 a 0.

Só que Calleri, aos 6 minutos, aproveitou erro do zagueiro Luís Otávio, bateu, Richard deu rebote desnecessário e o próprio argentino empurrou para o empate: 1 a 1.

Era justo no placar assim como o jogo era animadíssimo.

Logo aos 12', Ceni sacou Orejuela e pôs Wellington e, em seguida, Luciano perdeu a virada de cabeça, de maneira também inacreditável.

Quando o segundo tempo chegou aos metade 25', a bola havia rolado por 30 minutos e ficado parada por 40…

O São Paulo fazia sua melhor partida em muito tempo, mas empatava pela 13ª vez.

O problema estava em que o Ceará também não se contentava com o empate e não mostrava respeito algum ao Tricolor.

Muito bom ver times do Nordeste chegarem ao Sul Maravilha e não darem a menor pelota ao Morumbi, Itaquera ou casa verde.

Éder e Rodrigo Nestor nos lugares de Benítez e Reinaldo, aos 42', foram as últimas providências de Ceni em busca da virada, depois de ter trocado, oito minutos antes, Luciano e Igor Gomes por Marquinhos e Victor Bueno.

Mas não adiantou.

Pela quarta vez seguida São Paulo e Ceará empatam 1 a 1 entre eles pela Série A, diante de mais de 9 mil torcedores que foram ver a reestreia de Ceni, viram o Tricolor jogar bem, mesmo sem Rigoni, um bom jogo, mas, outro mau resultado.

Na segunda-feira, no Majestoso, o São Paulo tem de vencer.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri