PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Nem precisava de tanto, Seleção!

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

14/10/2021 23h24

Nem precisava de tanto.

Na sauna manauara, a Seleção Brasileira gastou a bola em primeiro tempo quase impecável.

Com Neymar à vontade e Raphinha incendiando o jogo e a torcida, o time de Tite, enfim, sobrou.

E contra a pesada camisa Celeste, que pouco fez diante da bem estruturada defesa amarela, apenas duas vezes chegou com perigo.

Já o ataque canarinho levou perigo constante à meta uruguaia, o que obrigou Muslera a fazer duas grandes defesas.

Neymar abriu o marcador ao receber lindo passe de Fred e fazer tudo que sabe, ao matar no peito, se livrar do goleiro e bater com pouco ângulo para fazer um golaço, aos 9 minutos.

Em seguida, em rebote de chute de Neymar depois de ótima jogada de Paquetá, Raphinha, o xodó da torcida, tocou para o fundo da rede, aos 17'.

Óscar Tabárez fez três mudanças para o segundo tempo e Tite não mexeu, embora pudesse botar Gabigol no lugar de Gabriel Jesus, que havia perdido dois gols.

Era até natural que a Seleção tirasse o pé na etapa final dado o calor e a umidade na Arena da Amazônia. Mas o time voltou igualmente ligado e com Neymar ainda mais.

De cara ele deu o 3 a 0 para Gabriel Jesus que parou em Muslera, assim como, no mesmo lance, o goleiro oriental evitou mais um gol de Raphinha, aos 6'.

O Uruguai quis jogar e foi à frente. Não deveria.

Aos 12', no primeiro contra-ataque brasileiro, Neymar deu um tapa para Raphinha entrar na diagonal e fazer 3 a 0. Um show!

Então, aos 15', Antony entrou no lugar de Paquetá e Gabigol substituiu Gabriel Jesus.

Na primeira jogada dos dois que entraram, Antony foi ao fundo e deu para Gabigol promover mais uma grande defesa de Muslera.

Aos 25', Raphinha e Fabinho saíram para as entradas de Everton Ribeiro e Douglas Luíz.

Três minutos Antony e Neymar fizeram o contra-ataque para Gabigol fazer o 4 a 0 e Muslera não deixou, mas era gol imperdível.

Como quem não faz toma, em cobrança de falta, Suárez diminuiu, 3 a 1, aos 31'.

Pois talvez não devesse.

Porque aos 37', Neymar cavou na cabeça de Gabigol e, finalmente, Muslera aceitou, ao não fazer a defesa menos difícil: 4 a 1.

Tite deu sete minutos para Edenilson, no lugar de Fred.

E a Seleção desfez a péssima impressão que vinha deixando não é de hoje.

Completou 11 jogos sem perder nas Eliminatórias, com dez vitórias, e 12 invicta diante da Celeste, esmaecida, tristemente distante do que já foi.

NOTAS

Ederson foi quase perfeito sempre que exigido, mas não evitou o gol, 7;

Emerson bem atrás e no apoio, 7;

Thiago Silva e Lucas Verissimo não deixaram Suárez e Cavani jogarem, 7,5;

Alex Sandro cumpriu seu papel, 6,5;

Fabinho, seguro, protegeu a defesa como deve, 7;

Fred jogou muito, 7,5;

Lucas Paquetá se movimentou mais e foi mais ousado, 7,5;

Neymar foi o dono do jogo, 9;

Gabriel Jesus ficou devendo, 5;

Raphinha brilhou como há tempos não se via uma novidade brilhar na Seleção, 8,5;

Antony entrou muito bem e está pedindo passagem, 7,5;

Gabigol perdeu os mesmos dois gols perdidos por Gabriel Jesus, mas fez o 4 a 1, 7;

Os demais três ficam sem nota pelo pouco tempo.

Tite tem motivos para dormir feliz depois de muito tempo, 7,5.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri