PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Inter e Timão empatam como quase sempre

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

24/10/2021 15h45

O que Inter e Corinthians mais fazem ao se enfrentar é empatar.

Pelo Brasileirão, 27 empates, 24 vitórias alvinegras e 16 coloradas, antes do jogo de hoje.

Na história, 36 empates, 32 triunfos paulistas, 23 gaúchos.

Hoje não foi diferente no clássico que virou rivalidade virulenta em 2005, quando a arbitragem prejudicou o Inter no Pacaembu, ao não dar pênalti do goleiro Fábio Costa em Tinga e ainda expulsar o atacante por simulação ao lhe dar o segundo cartão amarelo. O jogo acabou 1 a 1, resultado decisivo para o título corintiano e o vice colorado.

Antes, os dois haviam decidido o Brasileirão de 1976, vitória colorada por 2 a 0 no Beira-Rio e bi do Inter.

Depois, decidiram a Copa do Brasil de 2009 e o Corinthians venceu.

Mais recentemente, no último Brasileirão, o 0 a 0 em Porto Alegre tirou o título perseguido desde 1979 pelos gaúchos, em grande atuação de Cássio e do VAR — que desmarcou, corretamente, um pênalti e anulou dois gols por impedimento, tudo a favor do Inter, o segundo dos gols, aos 51 minutos do segundo tempo, do ex-corintiano Edenilson.

Hoje ambos entraram em campo de olho na Libertadores, com os mesmos 40 pontos, o Inter em sexto e o Corinthians em sétimo lugares.

E depois de grande defesa de Cássio, o Inter, melhor em campo, fez 1 a 0, aos 8 minutos, com Lindoso e sentou na vantagem diante do visitante tímido e inofensivo.

Logo aos 5' no segundo tempo Yuri Alberto acertou a trave paulista e os anfitriões seguiram sem correr riscos, diferentemente do que aconteceu contra o Bragantino.

Aos 13', Du Queirós e Mosquito entraram nos lugares de Gabriel e Vitinho, já que o Corinthians não chovia nem molhava.

Dois minutos depois, GP achou Giuliano no meio da área e lei do ex funcionou: 1 a 1.

O 37º empate caía do céu para o Timão.

E, aos 18', Roger Guedes foi derrubado na área para Fábio Santos bater e virar: 2 a 1!

O futebol é maravilhosamente surpreendente.

Lindoso deu lugar a Maurício e Kaique Rocha a Boschilia porque Diego Aguirre via a situação periclitante.

Já Sylvinho fechou com Xavier no lugar de GP, aos 35'.

Moises se machucou e Gustavo Maia entrou aos 39'.

E foi ele quem pegou um bom chute de fora da área para Cássio escorregar e empatar 2 a 2, aos 47' e consagrar o 28º empate pelo Brasileirão.

O tempo fechou e Patrick e Xavier foram expulsos.

Ninguém queria empatar, mas acabou bom para os dois ou, ao menos, justo, porque o Corinthians não merecia vencer e nem o Inter perder.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri