PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Corinthians martela, mas fica no 1 a 1

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

19/09/2021 20h08

Nos primeiros cinco minutos, em Itaquera, o América criou duas chances de gol.

Aos 6', Mauro Zarate, veterano jogador argentino, 34 anos, deu um drible em Gabriel e passou na medida para Marlon fazer 1 a 0 para o time mineiro de Vagner Mancini.

O que era para ser a festa da reestreia de Willian, 33, no Corinthians se transformava em convescote mineiro, quase ampliado aos 10', quando Cássio teve de sair nos pés de Ribamar para evitar o 2 a 0.

Até que, aos 16', Willian arrancou, foi ao fundo, o goleiro Matheus Cavichioli evitou duas vezes o gol de Roger Guedes e, no rebote, de Jô, até que o mesmo Jô deu para Giuliano empatar: 1 a 1, no primeiro ataque corintiano.

Justo não era, mas era o que era.

O gol corintiano serviu, ao menos, para botar água na fervura americana que, até então, jogava como se estivesse no Horto.

Willian começou a fazer a diferença como se tivesse um motor turbo e deu o segundo gol para Giuliano, que adiantou demais a bola e o perdeu.

Com a bola o Alvinegro era uma coisa até boa de ver. Sem ela, no entanto, era uma peneira e dava espaço para o América se criar, com Zarate desequilibrando e fazendo o que bem entendia com Gabriel.

Gabriel, que aos 39', atingiu o travessão mineiro em seguida a nova grande defesa de Cavichioli.

Em jogo razoável, o empate prevaleceu até o intervalo e era justo.

A Fiel tinha duas esperanças: que Zarate não aguentasse o segundo tempo e que Renato Augusto entrasse em campo. Porque ganhar era meio que obrigatório em rodada com empate do Bragantino e derrota do Fortaleza, os dois que estão imediatamente acima do Alvinegro.

Mancini sabia que dava para vencer e pôs o time dele no ataque assim que o segundo tempo começou. E devia estar se perguntando por que o Corinthians não lhe deu tantas estrelas…

A exemplo do primeiro tempo, nos primeiros 13 minutos do segundo tempo só o América jogou, embora sem levar perigo. O jogo estava de lascar quando, aos 14', Roger Guedes deu o segundo gol para Giuliano e ele desperdiçou de novo, de maneira inacreditável. A vida é dura, Fiel torcida.

O Corinthians corrigiu a falha defensiva da primeira metade e aos 17' pôs Renato Augusto no lugar de Willian, que teve estreia nota 7,5.

E Zarate resistia bravamente, embora desaparecido.

Giuliano teve uma terceira chance de fazer o 2 a 1, mas bateu fraco e o forte Cavichioli pegou.

Aos 28', enfim, Zarate saiu e Sasse entrou.

Aos 33' foi a vez de Mosquito substituir Gabriel Pereira, esgotado.

No minuto seguinte, Renato Augusto chutou na parte externa da trave mineira.

O Corinthians dava a impressão de que viraria para ganhar pela terceira vez em casa, com quatro derrotas e três empates, porque Itaquera, sem a Fiel, mais parecia problema que solução.

Mas o quarto empate persistia teimoso porque, aos 38', Cavichioli fez milagre em cabeçada à queima-roupa de Giuliano.

Sabe o que faltava? O Corinthians tomar o gol, bata três vezes na madeira.

Luan, meu deus!, entrou aos 42', no lugar de Giuliano. Sylvinho é um cara de fé interminável.

O América, embora ainda na ZR, estava feliz da vida.

O Corinthians nem um pouco, pois perdeu a chance de se aproximar mais do G4.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri