PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

É preciso continuar com a CPI da Chapecoense

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

21/09/2021 14h43

Lucas e Mello: surfaram na dor nacional e sumiram

A CPI da Chapecoense, instalada pelo Senado Federal em dezembro de 2019, com duração prevista até agosto de 2020, foi justificadamente interrompida por causa da pandemia.

Por mais grave e importante que fosse apurar todas as barbaridades cometidas antes, durante e depois do voo que matou 71 pessoas, a devastação da Covid se sobrepôs.

Foram realizadas sete reuniões até que houvesse a interrupção, ouvidas mais de uma dezena de pessoas diretamente envolvidas com o desastre aéreo e, de repente, não mais, fez silêncio em torno da CPI que envolve seguradoras e corretoras multinacionais poderosas como a japonesa Tokio Marine e a britânica AON Benfield, além da famigerada companhia aérea LaMia e das autoridades de fiscalização de voos da Bolivia, Brasil e Colômbia.

Se a interrupção da CPI teve justificativa, o silêncio em torno dela há muito deixou de ter, com as surpreendentes renúncias tanto do presidente da CPI, o senador Jorginho Mello (PL-SC), e do relator, senador Izalci Lucas (PSDB-DF).

Dos membros mais atuantes na CPI, apenas o senador Esperidião Amin (PP-SC) tem respondido aos que perguntam sobre a continuidade da CPI.

O descaso dos demais desrespeita 71 famílias e a dor do país que quase cinco anos atrás acordou perplexo com a tragédia.

Além de ferir gravemente a credibilidade do Senado e das Comissões Parlamentares de Inquérito.

Urge seguir adiante com a CPI da Chapecoense, não deixar impunes os responsáveis e ressarcir a quem de direito.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri