PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Santos flertou com o vexame

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

05/08/2021 21h08

O Santos flertou com o maior vexame de sua vida centenária, maior até mesmo que a goleada sofrida pelo Barcelona, não a por 4 a 0 na final do Mundial de Clubes, em 2011, que já foi muito feia, mas aqueles 8 a 0, dois anos depois.

Porque a Juazeirense fez, ainda antes do 30° minuto do primeiro tempo, a metade dos gols de que precisava para levar à marca do pênalti a decisão da vaga para as quartas de final da Copa do Brasil.

O Santos se esqueceu de que o 4 a 0 na Vila Belmiro havia sido enganoso, pois o 1 a 0 saiu tarde e no segundo tempo, aos 27 minutos, e os três gols restantes aos 39', aos 47' e 52'.

Ou seja, não respeitou a equipe baiana, subestimou que jogaria em gramado ruim e escalou apenas três titulares, a ponto de deixar Marinho em Santos.

Ora, o Santos não é o Flamengo e por pouco não tomou o terceiro gol logo no começo do segundo tempo, graças ao goleiro João Paulo, um dos poucos titulares.

O Peixe tentava jogar como Fernando Diniz gosta, no toque de bola em gramado que não permitia, e aos poucos foi tendo que botar titulares em campo.

Bola alta na área santista era um drama, basta dizer que assim nasceram os dois gols, nas duas únicas finalizações baianas, e quase nasceu o terceiro.

Diniz conhece futebol e sua história e por isso sabe que, em 1959, o Santos já tinha sido surpreendido por clube baiano, o Bahia, que lhe tomou a primeira Taça Brasil.

Pois hoje correu o risco de nova surpresa na cidade de Juazeiro, a do gênio João Gilberto.

O Juazeiro terminou o jogo com 300 atacantes, mas não deu.

Se desse, o Santos teria dificuldade em voltar para casa.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri