PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Fortaleza ensina ao Palmeiras como ganhar do CRB

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

29/07/2021 18h29

O Fortaleza foi a campo mais uma vez disposto a mostrar que não está em terceiro lugar na Série A à toa, com 27 pontos em 13 jogos.

Ao receber o CRB, quarto na Série B, com 24 pontos em 14 jogos, pelas oitavas da Copa do Brasil, o Fortaleza queria ensinar ao Palmeiras, eliminado pela equipe alagoana, como se faz diante de times mais fracos.

E os cearenses não deram um minuto de trégua desde o começo do jogo, buscando o gol, pressionando e finalizando sem parar, pelos dois lados do campo, com chances claras de gol, um pênalti negado pelo assoprador de apito e uma bola salva em cima da linha, em verdadeiro milagre do zagueiro Reginaldo.

Atacava, atacava e defendia com rigor, em busca da vantagem, que não vinha, apesar de 71% de posse de bola na primeira meia-hora de jogo.

O CRB se segurava com competência e organização até que, em seu segundo ataque, aos 41 minutos, Gum lançou em bola parada do meio de campo para abrir o placar com Nicolas Careca, em belo gol.

O Fortaleza foi para o intervalo no mau gramado do Castelão surpreso e derrotado.

Juan Vojvoda aprendia que é mais fácil superar os times do sul maravilha que os nordestinos.

O Galo alagoano amestrava o Leão cearense.

Faltavam 45 minutos.

E assim que começou o segundo tempo o goleiro Diogo Silva, que os palmeirenses conhecem bem, fez ótima defesa em arremate de Romarinho.

Aos 7', o gramado impediu o 2 a 0 em contra-ataque dos visitantes.

Diogo Silva defendia, o Fortaleza mandava no jogo e não empatava até que Gum derrubou Wellington Paulista na área , aos 25', e ele mesmo cobrou o penal para empatar 1 a 1.

Wellington estava em campo havia seis minutos, no lugar de Éderson.

Aos 30', Pikachu chutou, a bola foi desviada na mão de Wesley e novo pênalti marcado para Wellington Paulista virar: 2 a 1.

O Leão seguiu em busca de mais gols, Diogo Silva seguiu defendendo o que era possível para manter o Galo vivo em Maceió.

O Fortaleza, enfim, ensinava o Palmeiras como se faz para superar um adversário menor.

Este Fortaleza…

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri