PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Seleção bota o Peru no bolso

Juca Kfouri

17/06/2021 22h54

Nada mais apropriado para a Cova América que o peruano Cueva estivesse no indigente gramado do Engenhão, tão precário que Nilton Santos, a Enciclopédia do Futebol, não merece ser citado.

Quase incógnito, é verdade, como em sua passagem pelo Santos.

Com seis novidades em relação ao jogo contra a covidada Venezuela, a Seleção Brasileira já foi fazendo 1 a 0 com 11 minutos, em passe de Gabriel Jesus para Alex Sandro.

O jogo transcorria tão fácil que nem tinha graça e a vontade dos brasileiros era tão grande que os peruanos tinham mais a bola, embora sem a menor ideia do que fazer com ela.

Seria fundamental para o aquecimento da pugna que o Peru fizesse um gol ou, ao menos, desse um susto nos preguiçosos discípulos de Tite.

A diferença de competitividade para a Eurocopa era gritante. E irritante. Paciência. É o que temos para o momento.

Aos 39', enfim, o susto! Que Danilo conjurou ao evitar o empate com Ederson já batido.

E o primeiro tempo terminou assim, letárgico, embora por pouco Alex Sandro não tenha ampliado aos 44'.

Gabigol e Cebolinha não voltaram para o segundo tempo, trocados por Everton Ribeiro e Richarlison.

Quando chegamos aos 10 minutos do segundo tempo, dez lagartixas caíram do teto da marquise do estádio na cabeça de ninguém, porque, felizmente, vazio, como o espetáculo merecia.

Aos 15', Neymar invadiu a área em velocidade pela esquerda e, desnecessariamente, foi derrubado em pênalti claro. Ridiculamente o VAR quis discutir, tão ruim o da Conmebol como o da CBF. Pior: o assoprador em vez de se impor foi verificar e voltou atrás.

Não bastasse o gramado ruim, assoprador de apito amarelão e VAR pornográfico.

Então, Neymar se enfezou.

Recebeu na meia lua, achou espaço e enfiou o pé para fazer 2 a 0, aos 22'.

Roberto Firmino entrou no jogo no lugar de Gabriel Jesus, mais uma vez com boa atuação.

Richarlison teve a chance do terceiro gol, em passe açucarado de Neymar, mas perdeu.

O Peru estava frito.

Alex Sandro deu lugar a Renan Lodi que nem bem entrou e viu os peruanos perderem gol na pequena área brasileira.

Émerson também foi para o jogo, no lugar de Danilo.

Como Richarlison, Firmino desperdiçou o 3 a 0.

Mas, aos 88', em bela jogada de pé em pé, Everton Ribeiro fez o gol que faltava, completando passe de Richarlison lançado por Neymar.

Richarlison ainda fez 4 a 0 nos acréscimos, fácil, fácil.

Sem precisar forçar, mas bem mais interessada no segundo tempo, a Seleção botou o Peru no bolso. Como, aliás, era obrigatório.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri