PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Inter faz o Olimpia perder o rumo de casa

Juca Kfouri

05/05/2021 22h46

Em 1989, garanti, no "Jornal da Globo", que passaria a me chamar "Juca Witte Fibe" caso o Olímpia eliminasse o Inter no Beira-Rio.

Lilian Wite Fibe era a apresentadora do jornal e ficou surpresa com a promessa, pouco usual para o chamado "padrão Globo de qualidade".

O Inter jogava pelo empate, pois havia vencido no Paraguai, e perdeu de 3 a 2, eliminado nos pênaltis com Taffarel no gol.

No dia seguinte, no bate-papo que eu fazia com Lilian, quebrando todos os padrões da emissora, quando entrei no ar ao lado dela apareceu minha identificação com o nome trocado.

Daí esperar com ansiedade o jogo de hoje, no novo encontro entre os dois times, os paraguaios tricampeões continentais contra os gaúchos bicampeões, cada um uma vez campeão mundial.

O Inter sem Patrick, machucado, mas com a reestreia de Taison, dez anos depois de ir brilhar na Ucrânia, num embate pela liderança do grupo.

E o Colorado começou muito bem.

Quando abriu o placar, com Cuesta de peixinho em cobrança de escanteio por Rodinei, aos 28 minutos, já tinha feito por merecer a vantagem.

Não fossem erros no último passe, ou finalizações infelizes, e antes mesmo do fim dos primeiros 45 minutos o Inter estaria ganhando com folga.

Desnecessário dizer que 1 a 0 não é garantia de coisa alguma.

Sabendo disso, o Colorado começou o segundo tempo em busca de ampliar, fez gol anulado por impedimento e, aos 50', teve pênalti para Edenilson fazer 2 a 0.

Trinta e dois anos depois, admito, me sentia vingado. E tinha cara de que viria mais. O Olimpia-2021 pagava pelo fez o Olimpia-1989.

Veio mesmo, com Galhardo, aos 63', para fazer 3 a 0.

Como veio mais, em passe de Praxedes para Galhardo marcar 4 a 0, de cavadinha.

O 5 a 0 veio em contra-ataque com Yuri Alberto, que acabava de entrar no jogo. Que sacode!

O 6 a 0 veio de bicicleta, com Caio Vidal, para botar placa no Beira-Rio.

Fácil, extremamente fácil, porque o Inter fez ficar fácil.

Preocupação dos anfitriões com os visitantes só uma: será que eles encontrarão o caminho de volta para a Assunção?

Gentis, os colorados concederam um pênalti para os desnorteados paraguaios que, aos 85', fizeram o chamado gol de honra: 6 a 1.

Lomba não teve chance, como Taffarel…

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri