PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Palmeiras ganha do Defensa e de Abel Ferreira sem justiça

Juca Kfouri

07/04/2021 23h23

Não é que o Palmeiras não tenha feito um bom primeiro tempo contra o Defensa y Justicia no jogo de ida da decisão da Recopa Sul-americana.

O Palmeiras fez um mau primeiro tempo, embora tenha saído com a vantagem de 1 a 0 graças a gol de Rony logo aos 7 minutos, quando era dominado pelo fraco time argentino, incapaz de levar perigo ao gol alviverde, muito tico-tico e nenhuma objetividade, errando sempre no último passe, fazendo escolhas erradas em cima de escolhas erradas.

Desnecessário dizer que a diferença técnica entre os jogadores do Palmeiras e do adversário é abissal, razão pela qual, mesmo sendo o primeiro jogo dos titulares na temporada de 2021, não se justifica a dificuldade.

A garotada do Santos teve atuação muito melhor contra o San Lorenzo, mais qualificado que o DyJ, embora também não seja nenhuma maravilha.

O time A do Flamengo, adversário do domingo que vem na Supercopa do Brasil, também fez seu primeiro jogo contra o Bangu e jogou muito melhor, porque jogou futebol e não se limitou às ligações diretas palmeirenses. E o DyJ não é tão melhor que o Bangu…

É inadmissível que o Palmeiras jogue em contra-ataques contra rival tão frágil. Enquanto estiver ganhando o torcedor não vai chiar, mas no primeiro fracasso…

O segundo tempo seguiu exatamente como o primeiro até que, aos 57', Felipe Melo falhou e Romero empatou: 1 a 1. Tenha paciência!

Imediatamente Abel Ferreira sacou Willian e Rafael Veiga para Lucas Esteves e Scarpa jogarem. Sabe-se lá por que, Wesley seguia no banco. Aliás, como Patrick de Paula, que também deveria ser titular.

Aos 62', enfim, Patrick e Danilo entraram nos lugares de Felipe Melo e Zé Rafael. O óbvio! Ainda faltava Wesley.

Mesmo sem o melhor atacante do elenco, o Palmeiras mudou para melhor e passou a apertar em busca da vitória, cá entre nós, obrigatória.

E numa das muitas faltas cometidas pelo DyJ, Gustavo Scarpa bateu colocado e o goleirinho aceitou aos 75': 2 a 1.

Com o jogo controlado, Mayke entrou no lugar de Breno Lopes, porque Abel Ferreira já estava feliz e não queria mais, o que é de se lamentar.

O castigo veio quase imediatamente, dois minutos depois, com novo empate aos 81', para sorte brasileira em impedimento discutível.

O minutos finais foram de sufoco imperdoável.

Registre-se que Patrick de Paula não entrou bem no jogo.

O Palmeiras praticamente garantiu a taça, desta vez, apesar de Abel Ferreira.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri