PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Ironia: o Corinthians jogou bem um tempo e levou a virada no segundo

Juca Kfouri

13/04/2021 22h03

Ganhar no Paulistinha é o de menos e ganhar o Corinthians vinha ganhando.

Mas sem jogar bulhufas.

Pois fez ótimo primeiro tempo em Araraquara, contra o bom time da Ferroviária, que sentiu o mês sem atuar.

Mas com 23 minutos, o Alvinegro havia criado quatro grandes chances de gol, uma delas em tirambaço de Otero no travessão de Saulo, que já havia feito duas grandes defesas.

Como futebol é futebol, jogando bem, muito melhor que o adversário, o Timão viu, aos 33', Cássio fazer milagre para evitar gol da Ferroviária e, em seguida, sofrer o 1 a 0, para sua sorte bem anulado pelo VAR.

Seria uma ironia: o time jogava mal e vencia. Agora jogava bem e poderia estar perdendo.

O placar só fez justiça ao andamento do jogo no fim dos 45 minutos iniciais, quando Luan, acredite, jogando bem, deu belo passe para Camacho fazer 1 a 0.

Um Corinthians com dez finalizações, 58% de posse de bola, vivo, como havia tempo não se via.

E que tinha o desafio de repetir a dose no segundo tempo.

É claro que a Ferroviária voltou em cima e, se faltava ritmo de jogo, fôlego tinha de sobra.

Não, o segundo tempo corintiano não foi comparável ao primeiro e, agredido, o time não conseguia aproveitar os espaços deixados, com Jô fazendo mais número que jogando.

Roni e Gabriel Pereira nos lugares de Camacho e Léo Natel foram as primeiras trocas de Vagner Mancini, aos 25'.

Camacho estava esfalfado, mas entre a, ao menos, participação de Natel e a ausência de Jô, não deu para entender.

Para piorar, aos 28', Xavier bobeou dentro da área, perdeu a bola e Meritão não perdoou: 1 a 1.

Ramiro substituiu Xavier e Adson, mais um garoto, entrou no lugar de Otero.

A Ferroviária ameaçava virar, mas importante, para a Fiel, é que as caras novas iam bem, como João Victor e Raul Gustavo.

Aos 40', Luan saiu, com nota 6,5, e Araos entrou.

E, aos 44', Xandão bateu falta de antes do meio da rua e Cássio aceitou a virada: 2 a 1.

O Corinthians perdeu o jogo e a invencibilidade, mostrou que talvez tenha futuro com o que mostrou no primeiro tempo e deve esquecer o segundo.

O Corinthians perdeu o seu melhor jogo no Paulistinha. Não é uma ironia?

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri