PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Flamengo é octacampeão porque o Inter não soube ser tetra

Juca Kfouri

25/02/2021 23h36

Ah, o futebol!

No Morumbi, o Flamengo mandou no primeiro tempo e o São Paulo só chutou uma vez no gol, nos acréscimos, em cobrança de falta por Luciano.

Como o rubro-negro não acertou o gol tricolor e o artilheiro do Covidão-20 acertou, São Paulo 1, Flamengo 0, para alegria do Inter.

Que, no entanto, fazia um primeiro tempo pouco agressivo contra o frágil Corinthians no Beira-Rio, perdia Dourado machucado e trocado por Lindoso, e via a arbitragem marcar pênalti do ex-gremista Ramiro que seria batido pelo ex-corintiano Edenilson, mas não foi.

Porque o VAR chamou e o assoprador de apito se convenceu de que não deveria ter marcado nada, como, de fato, não deveria.

Em seguida, Patrick deu o 1 a 0 para Yuri Alberto, mas ele estava impedido.

Ficou tudo para o segundo tempo. A expectativa de futebol, inclusive, porque os dois jogos estavam bem ruins.

E os segundos tempos começaram bem.

Com Bruno Henrique empatando aos 5 minutos, depois de escanteio e desvio de Gustavo Henrique.

E com o Inter, no mesmo instante, acertando a trave de Cássio com Yuri Alberto no rebote de milagre do ex-goleiro gremista em cabeçada de Edenilson. Um pecado!

Era um Inter mais ativo, embora ainda menos perigoso do que se esperava.

E, aos 13', no Morumbi, Pablo, aproveitou uma saída errada de Hugo que Daniel Alves matou no peito e deu para o centroavante botar o São Paulo outra vez na frente, na fase de grupos da Libertadores e com a quarta vitória contra os cariocas na temporada.

Hugo, definitivamente, não dá sorte com o São Paulo.

Só faltava o Inter não conseguir fazer um golzinho, ou melhor, um GOLZÃO, para ser campeão, tetracampeão, depois de 41 anos.

Aos 18', outra vez, a trave evitou o gol colorado em chute de Caio Vidal e leve desvio de Cássio.

Aos 21', Pedro em campo, Gabigol fora, machucado.

E Galhardo e Abel Hernandez dentro, com Praxedes e Yuri Alberto fora.

Matheusinho e João Gomes nos lugares de Isla e Diego, aos 28'.

O Flamengo decepcionava em São Paulo e o Inter em Porto Alegre, a ponto de quase levar um gol de Jô, meio segundo atrasado.

O pior que poderia acontecer para o Colorado era o Flamengo não vencer e o Inter também não.

Peglow, aos 33', no lugar de Caio Vidal.

E o Corinthians fazia o papel de estraga prazeres, só para o colorado odiá-lo cada vez mais.

Lucas Ribeiro, de cabeça, quase fez o GOLZÃO. Quase…

Sete minutos de acréscimos nos dois estádios.

Aos 51', o GOLZÃO! De Edenilson, lei do ex…Mas em impedimento. Quando acabava o jogo no Morumbi. Quanta maldade! Agravada, aos 54', por arremate de Lucas Ribeiro sobre o travessão.

Ser campeão perdendo o último jogo é muito sem graça, mas pior é não ser campeão, dirá o rubro-negro.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri