PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Apesar de Luan, Verdão copeiro fica perto do tetra na Copa do Brasil

Juca Kfouri

28/02/2021 22h53

No centésimo Grêmio x Palmeiras, os primeiros 25 minutos foram pouco jogados e muito guerreados, tanto que foi quando aconteceu a primeira defesa, de Paulo Victor, em cobrança de falta alviverde.

O Grêmio, em casa, buscava sua 22ª vitória, para evitar a 42ª do rival ou o 38º empate.

O Palmeiras era melhor e tinha mais a bola quando, aos 31', Gustavo Gómez, de cabeça, completou o escanteio batido por Raphael Veiga e fez 1 a 0. Paulo Victor espalmou para dentro de sua meta.

Além da quarta maior torcida do Brasil, a do Fluminense também comemorava porque se o Verdão for o campeão, o Tricolor carioca ganhará vaga direta na Libertadores. Além da colorada, é claro.

Só aos 40', Alisson deu o segundo chute ao gol de Weverton, por cima, mas com perigo, como havia sido outro chute dele, aos 33', rasteiro.

Aos 45', Luiz Adriano desperdiçou o 2 a 0 como não está acostumado em enfiada preciosa de Raphael Veiga.

Ninguém mexeu para o segundo tempo que prometia ser tenso.

E, aos 10', Raphael Veiga deu uma caneta em Paulo Miranda e o gol para Rony desperdiçar miseravelmente.

Veiga fazia e Luiz Adriano e Rony desfaziam o que poderia ser o 3 a 0 que praticamente decidiria a Copa do Brasil.

O Imortal precisava urgentemente de uma injeção de adrenalina porque parecia impotente, entregue.

E, aos 18', Luan deu a injeção ao dar cotovelada violenta em Diego Souza e ser expulso de campo. Desfalcará o time na finalíssima e merecia sair preso da Arena Grêmio.

Gabriel Veron que entraria, não entrou e Abel Ferreira chamou Gabriel Menino para jogar no lugar de Veiga e Empereur no de Wesley.

Renato Portaluppi pôs Ferreirinha no lugar de Maicon e Churín no de Victor Ferraz.

A burrada de Luan mexeu no jogo todo e Luiz Adriano saiu para Veron jogar.

Quem seguia sem tocar na bola era Weverton, o que só aconteceu aos 28', em chute cruzado de Ferreirinha.

Tudo que o Palmeiras não havia sofrido, passou a sofrer, porque Luan…

Myke e Danilo nos lugares de Rony e Zé Rafael foram as últimas trocas alviverdes.

Os paulistas que atacavam mais, passaram a se defender, porque Luan…

O Grêmio, que deve uma Libertadores a um Luan, talvez venha a agradecer uma Copa do Brasil a outro.

Thaciano, Isaque e Vanderson, aos 35', sangue novo nos lugares de Alisson, Paulo Miranda e Jean Pyerre.

Com o peito, Felipe Melo evitou o empate aos 40', num melê na área palmeirense.

Só que o Grêmio está longe de ser o que já foi e nem mesmo com sete minutos de acréscimos conseguiu o empate.

E deixou o Palmeiras, bem mais competitivo, perto de ser o clube paulista com mais Copas do Brasil: quatro!

Festa marcada para domingo que vem, às 18h, na casa verde.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri