PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Pikachu supera Breitner, graças a Waldir Peres

Juca Kfouri

26/01/2021 21h07

POR ANTONIO CARLOS SALLES*

Pikachu você conhece.

É o craque que o Paysandu exportou do Pará para brilhar no Vasco da Gama, tido como um dos melhores laterais do futebol brasileiro.

Estivesse pelos lados de Parque São Jorge três anos atrás, e o santo guerreiro lhe arrumaria um lugar na seleção que foi à Rússia.

Paul Breitner, é certeza que você também já ouviu falar.

Campeão mundial pela Alemanha na Copa do Mundo de 1974, craque do Bayern de Munique com vários títulos conquistados.

Jogou com Sepp Maier, Vogts, Overath, Gerd Müller. Rummenigge era reserva. E todos eram liderados por Frank Beckenbauer.

E o que Waldir Peres tem a ver com os dois?

Com Pikachu nada. Ou quase tudo. Mas muito com Breitner. O que leva a história de volta a Pikachu, outra vez.

Yago Pikachu sempre foi artilheiro, desde os tempos de futebol de salão.

Com o gol marcado no jogo de sábado contra o Atlético-MG, vitória do Vasco 3×2, Pikachu alcançou 104 gols e assim tornou-se o lateral direito com o maior número de gols marcados do futebol mundial, 64 jogando pelo Paysandu.

Pikachu chega ao recorde mundial que já poderia ter sido alcançado antes, não tivesse vivido uma estiagem de mais de um ano sem ir às redes.

Paul Breitner parou nos 103, assinalados nos tempos de Bayern, Real Madrid e seleção da Alemanha.

Mas a história poderia ser diferente, não fosse Waldir Peres, goleiro que fez história no São Paulo, onde acumulou muitos títulos e horas de "cera", quando seu time estava vencendo.

Num amistoso entre Alemanha e Brasil em Stuttgart no ano de 1981, com Tele Santana arrumando a equipe para a Copa da Espanha, o Brasil vencia por 2×1 até os minutos finais, quando o árbitro inglês assinalou um pênalti para o time alemão.

O gol de Breitner decretaria um resultado injusto, uma vez que o time de Júnior, Zico, Sócrates, Oscar, Cerrezo, Éder, Paulo Isidoro e Waldir Peres era bem superior ao alemão.

Breitner cobrou duas vezes. Waldir se adiantou nas duas e fez as defesas, uma em cada canto do gol.

Waldir parou Breitner e a história do lateral artilheiro.

Para Pikachu reescrevê-la como ator principal.

*Antonio Carlos Salles é jornalista.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri