PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Em Itaquera venceu o melhor e 2 a 0 foi pouco

Juca Kfouri

25/01/2021 21h54

Primeiramente é preciso dizer que o jogo nem bem tinha começado em Itaquera e Claudinho deu para o emprestado são-paulino Helinho fazer Bragantino 1, Corinthians 0, fruto de erro de passe de Fábio Santos.

Se o jogo já seria difícil para os anfitriões porque contra um time melhor, a dificuldade ficou ainda maior.

Em segundo lugar, é justo dizer que o Corinthians logo se equilibrou, chegou diversas vezes na área visitante, criou chances, mas sempre finalizou fraco ou simplesmente mal.

Já o Braga cada vez que descia insinuava ampliar.

O que conseguiu ainda aos 41 minutos, com Claudinho, de cavadinha em Cássio, em excelente troca de passes entre Aderlan, Ytalo e o meia que o Corinthians vendeu sem ter ninguém à altura dele, agora artilheiro do campeonato com 16 gols, ao lado de Galhardo e Marinho.

Virou dois em ótimo primeiro tempo. E poderia acabar quatro.

As Laranjeiras comemoravam com Bragança Paulista e os corintianos, cá entre nós, não tinham o que reclamar, porque não têm time para querer Libertadores.

Na verdade, o Corinthians já era para ter sido eliminado pelo Braga no Paulistinha, o que só não aconteceu porque positivaram falsamente meio time do interior com Covid-19.

Na verdade também, estar livre do rebaixamento já está de bom tamanho, objetivo maior de Vagner Mancini, o que dá a medida da qualidade da gestão do futebol corintiano em 2020.

Mateus Vital e Gustavo Mosquito ficaram no vestiário e Otero e Léo Natel foram para o jogo.

O Braga seguiu mais perigoso no começo da segunda etapa e envolvia a defesa alvinegra como bem entendia, organizado e rápido.

Cazares e Jô fora e Luan e Everaldo dentro, aos 19', o que dá a medida do desespero e da pobreza corintianos diante da inexistência do time no segundo tempo.

Para piorar a situação só faltava o ex-palmeirense Arthur fazer gol.

O Braga começou a poupar à altura do 30° minuto porque vai ao Beira-Rio no domingo, em jogo interessantíssimo. Até Claudinho saiu.

E Cássio evitou o 3 a 0 numa cabeçada à queima-roupa de Ligger.

Luan estava em campo como 12º jogador do Braga, porque dava todos os passes para os adversários.

Ramiro foi embora para Gabriel Pereira jogar, aos 34'.

O Corinthians teve um espasmo na goleada sobre o Fluminense e enganou os que adoram um autoengano.

Já o Bragatino faz campanha consistente em 2021, com goleadas sobre o São Paulo e o Vasco, além de vitória sobre o Ceará, em Fortaleza, e agora em Itaquera, tudo em seguida.

Cá entre nós, outra vez, 2 a 0 foi pouco, embora, no fim, quase o Massa Bruta devolve o presente dado por Fábio Santos para o próprio Fábio Santos.

O Braga, enfim, faz a campanha que dele se esperava.

O Corinthians também. Time de meio de tabela.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri