PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

São Paulo ganha bem e pode botar cinco pontos de vantagem sobre o líder Galo

Juca Kfouri

28/11/2020 20h57

O São Paulo teve mais sorte que juízo no primeiro tempo na Fonte Nova e ficou no 0 a 0 com o Bahia.

Até porque Tiago Volpi quase arrancou a cabeça de Ernando e a arbitragem resolveu achar que não foi nem pênalti nem motivo de expulsão.

Já imaginou como ficaria a diretoria do São Paulo caso se decidisse diferente?

Mas o Bahia foi mais perigoso, o São Paulo esteve frouxo na marcação, e Brenner não parecia numa noite feliz.

Para o segundo tempo Fernando Diniz optou por Tchê Tchê de Juanfran e por Victor Bueno no lugar de Léo.

Não queria empatar pela terceira vez seguida, no que estava certo.

E, aos 6 minutos, Reinaldo bateu lateral, Ernando, com a cabeça de volta, desviou mal, o goleiro Douglas saiu pior e Luciano, de bicicleta, fez 1 a 0.

Luciano é outro iluminado neste campeonato.

O São Paulo seguiu na frente, à procura de liquidar o jogo e teve, aos 15', ótima oportunidade, desperdiçada por Igor Gomes, de cabeça, em passe de Daniel Alves.

Seis minutos depois, Arboleda não desperdiçou, também de cabeça, um cruzamento perfeito de Reinaldo.

Com dois jogos a menos que o líder Galo, o Tricolor paulista assumia a vice-liderança a apenas um ponto, ou seja, com potencial para botar cinco pontos de vantagem se vencer o Goiás, em Goiânia, no próximo dia 3, e contra o Botafogo, no Morumbi, no dia 9, mamão com açúcar.

O São Paulo seguiu querendo mais gols.

O Bahia estava mortinho da silva e o São Paulo absoluto.

Aos 28', novo passe de Reinaldo para Luciano entrar batendo de primeira na entrada da área, como taco de bilhar, no canto, 3 a 0!

O São Paulo fazia mais um bom segundo tempo depois de ir mal no primeiro.

Clayson ainda diminuiu, aos 36', para 3 a 1.

Vitória gigante!

Sei não, mas o que pode ter de são-paulino pedindo desculpas a Fernando Diniz…

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri