PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Jesus em noite real

Juca Kfouri

07/08/2020 17h49

Algo raro aconteceu nos primeiros 100 segundos de Manchester City e Real Madrid.

O campeão espanhol deu a saída e recuou a bola.

Durante longo 1minuto e 40segundos ficou trocando bola entre o goleiro Courtois e os zagueiros, todos marcados sob pressão.

Sempre na imediação da grande área, no máximo até a intermediária, sem passar pelo meio de campo.

Até que Varane fez um lançamento e a bola saiu pela lateral, para que o MC tocasse a primeira vez na redonda.

A pressão alta continuou e, aos 8 minutos, Gabriel Jesus desarmou Varane e deu para Sterling fazer 1 a 0 com o gol praticamente vazio, entre as pernas de Militão.

Os comandados de Pep Guardiola marcavam 3 a 1 no placar agregado e complicavam demais a vida de Zinedine Zidane e companhia.

A insistência espanhola em sair jogando pelo chão, sem chutão, cobrava seu preço.

Nem por isso o maior campeão europeu desistiu e Ederson tinha que trabalhar, pelo menos duas vezes aos 21 e 22 minutos, com grandes defesas em chutes de Benzema e de Hazard.

Aos 27', de cabeça, Benzema completou jogada maravilhosa do ex-santista Rodrygo e empatou: 1 a 1.

Tinha jogo, muito jogo pela frente.

E a partir do 40° minuto o jogo pegou fogo, cada um com duas chances para desempatar, fruto da marcação alta inglesa e de contra-ataques espanhóis.

Gabriel Jesus roubava bolas preciosas da defesa merengue e o segundo tempo prometia.

Mais um gol madridista e teríamos prorrogação.

Nos dez primeiros minutos do segundo tempo só deu MC, com três chances claras de gol e Courtois impedindo.

Porque time de Guardiola não defende resultado.

O Real Madrid parecia se fingir de morto e trocou Rodrygo por Asensio, aos 59'.

Sergio Ramos, suspenso, fazia muita falta no comando da defesa madridista, que errava infantilmente em seguidas saídas de bola.

Só aos 64' Benzema fez Ederson reaparecer e, na resposta, Gabriel Jesus só não desempatou porque Courtois interveio.

Mas não era noite de Varane e ele, pressionado por Gabriel Jesus, recuou mal para Courtois e ver Jesus se antecipar para fazer 2 a 1, aos 68'.

O zagueiro francês sonhará com Jesus nesta noite…

O ex-palmeirense brilhava como há tempos não fazia.

O Real se rendeu, baixou a guarda e passou a correr o risco de ser goleado.

O City se classificava para enfrentar o Lyon nas quartas de final, em Lisboa, no sábado que vem, porque o time francês, mesmo derrotado pela Juventus, em Turim, por 2 a 1, dois gols do CR7, eliminou o octacampeão italiano.

O que também é boa notícia para o time de

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri