PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Atlético Goianiense, torrencialmente cruel, murcha o Flamengo

Juca Kfouri

12/08/2020 22h23

Que noite estranha a da segunda rodada do Covidão-20.

O primeiro tempo terminou com 2 a 0 para o Corinthians, no Mineirão, contra o Galo, e com o mesmo placar, no estádio Olímpico de Goiânia, para o Atlético Goianiense contra o Flamengo.

E ficou barato para o rubro-negro carioca diante do goiano, com, por sinal, lindo uniforme.

Barato porque além dos dois gols houve um pênalti de Rodrigo Caio não assinalado nem pelo assoprador de apito, que não poderia mesmo ver a cotovelada na bola dada pelo zagueiro, mas o VAR tinha a obrigação de ver.

Hyuri, aos 15 minutos, e Jorginho, num golaço, aos 31', fizeram os gols sobre um Flamengo desfigurado, que criou apenas uma chance, com Gabigol, já no fim da primeira etapa.

Na segunda, o campeão da Libertadores voltou diferente com Rafinha e Pedro e, logo depois, com Arrascaeta.

Talvez repetisse a virada do Galo.

Só que depois de duas chances evitadas pelo goleiro Jean dos pés de Gabigol, aos 15', Ferrareis marcou novo golaço, logo depois da intermediária.

Sim, o Flamengo perdia por 3 a 0 do Atlético Goianiense, ou melhor, o Atlético Goianiense ganhava por 3 a 0 do Flamengo.

ESTARRECEDOR!

Segundo jogo do Flamengo, segunda derrota, Domènec Torrent no olho do furacão.

Depois do 3 a 0, o Flamengo murchou, como disse o PVC.

Para piorar, Diego Alves foi expulso aos 37' e César entrou no lugar de Gabigol.

Jean ainda fez defesaça em chute de Bruno Henrique, aos 42'.

No ano passado, Jorge Jesus pegou o time a oito pontos do lider, na 10a. rodada.

Estar a seis, na segunda rodada, não é definitivo.

Mas chateia. E muuuito!

Jorge Jesus dorme em Lisboa.

Quando acordar e souber o resultado, lembrará que também tomou de 3 a 0 do Bahia, na 13ª rodada.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri