PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Ramalhão mantém Corinthians na zona

Juca Kfouri

23/02/2020 17h52

Em 2004, diante de 72 mil torcedores no Maracanã, o Santo André surpreendeu o país e derrotou o Flamengo por 2 a 0 para ser campeão da Copa do Brasil.

E o Flamengo jogava pelo empate.

Dezesseis anos depois o Ramalhão vai fazendo a melhor campanha do Paulistinha, com 18 pontos em sete jogos, com apenas uma derrota, para o Guaraní, em Campinas, e em noite em que poupou jogadores para enfrentar o Criciúma, pela Copa do Brasil, a quem derrotou por 4 a 1.

Seu próximo adversário será o Goiás.

Hoje, recebeu o Bragantino e, com gol de Ronaldo, abriu o placar, aos 24 minutos.

Verdade que nove minutos antes o Braga teve um gol mal anulado por impedimento inexistente, em mais um erro grave dos assopradores de apito neste Paulistinha sem VAR e marcado por equívocos decisivos.

Embora o visitante de Bragança tenha ficado mais com a bola durante todo o primeiro tempo, o Santo André foi mais perigoso e criou outras situações de gol, fazendo jus à vantagem inicial, o que, é evidente, não minimiza o erro da arbitragem.

Verdade que, ao menos, Ronaldo não foi punido com cartão por ter ido comemorar com a torcida. Aleluia!

Foto Arquivo Lance!

Com apenas 39% de posse de bola, os anfitriões finalizaram sete vezes contra três.

Fato é que o Ramalhão foi para o vestiário em primeiro lugar no grupo do Palmeiras, o que, além do mais, mantinha o Corinthians na zona de classificação.

Ao Braga bastava empatar para tirar o Timão (?) da zona.

Faltava o segundo tempo.

Diga-se de passagem que os primeiros 45 minutos foram agradáveis, muito mais que os jogos de ontem do Corinthians e do Santos.

E que os derradeiros também começaram muito bem, com o experiente goleiro Fernando Henrique evitando duas vezes o empate do RB Bragantino.

A vaga do Corinthians ameaçava ir para o brejo, ao menos, temporariamente.

Se bem que o jogo era disputado lá e cá, com o Santo André se aproveitando dos espaços para contra-atacar.

O jogo era quente, em busca de gols, intenso para chuchu, palavra que deveria ser com dois xis, com o que seriam economizadas duas letras…

Aos 38', pênalti para o Bragantino, em Matheus Jesus, ex-Corinthians…

Ítalo bateu e Fernando Henrique defendeu! Com invasão da área, para prejudicar mais uma vez o Bragantino, até porque o invasor pegou o rebote do goleiro.

O ex-goleiro do Fluminense brilhava.

Dois minuto depois, ele salvou novamente o empate, em chute de Claudinho, outro ex-corintiano…

A bola rondava o gol do Ramalhão, mas insistia em não entrar e mantinha o Corinthians na zona e o Santo André na liderança geral do Paulistinha.

Por enquanto, jogará as quartas de final em casa contra o Verdão.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri