Topo

Histórico

Categorias

Em belo jogo, Galo bate no Timão

Juca Kfouri

01/12/2019 19h55

Dizem que de onde nada se espera é que não sai nada mesmo.

Pois Galo e Timão desmentiram a máxima num primeiro tempo eletrizante no Horto, com 18.062 torcedores.

Curioso saber como Fábio Carille assistiu ao jogo de seu ex-time contra o futuro.

Terá visto um Corinthians corajoso indo para cima desde o começo e criando duas chances claras de gol nos minutos iniciais e o Atlético Mineiro equilibrando, criando também até abrir o placar com um golaço de Cazares, aos 18'.

A resposta não tardou e Janderson empatou aos 19', também em belo chute.

Até o fim o clássico foi de pura trocação, com chances para lá e para cá,

Mais para o Galo, é verdade.

Aos 37', Marquinhos perdeu gol certo ao ver Cássio crescer e, no minuto seguinte, Jair acertou o travessão paulista.

Era um embate disputado em tamanha velocidade que só faltava a presença de Lewis Hamilton.

Difícil pensar que o segundo tempo seria igual.

Até o VAR jogou, anulando um gol de cada lado por impedimentos claros. Com a lentidão de sempre, inaceitável.

Mas se o Galo penou no início, fez o Timão sofrer no fim.

E começou o segundo tempo na pressão.

Mas foi Clayson quem desperdiçou a primeira grande chance de gol, aos 11'.

Cazares respondeu imediatamente e Cássio fez boa defesa, depois que o gringo deixou Manoel órfão de pai e mãe com um drible sensacional.

Aos 22', Matheus Vital substituiu Clayson e, aos 25', Jair exigiu grande defesa de Cássio.

Janderson derrubou Cazares na área e o pênalti foi marcado ainda dentro do 25º minuto.

Fábio Santos, ex-Timao, fez 2 a 1, resultado que manteria o Galo na Série A.

Coelho trocou Júnior Urso e Janderson, de herói a vilão, por Boselli e Vagner Love.

Mancini, chamado de burro, sacou Di Santo e pôs Léo Silva, além de Jair por Otero.

Os paulistas buscavam o empate e os mineiros segurar a vitória.

Cazares saiu aos 42', Ramón Martinez entrou.

A sorte corintiana foi a derrota do Goiás em casa para o Fortaleza.

O time tem dois jogos, Ceará fora, e Fluminense em casa, para ganhar três pontos e se garantir na pré-Libertadores.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri