PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

A última impressão é a que fica?

Juca Kfouri

09/12/2019 07h00

Dizem que a última impressão é a que fica.

É verdade em relação ao Cruzeiro, cuja última impressão é a da queda para segunda divisão, "prêmio" que seus cartolas fizeram por merecer.

Vale também para o Santos que coroou sua campanha de vice-campeão com sonoros 4 a 0 contra o Flamengo, num show de bola na Vila Belmiro em delírio.

Mas não é verdade em relação ao Flamengo, que foi para seu derradeiro jogo em ritmo de treino e que há de querer que todos os anos carimbem suas faixas.

Palmas para as torcidas do Fortaleza, Vasco e Corinthians que lotaram os estádios ontem sem ter mais nada a conquistar.

52 mil no Castelão, 67 mil no Maracanã e 37 mil na Arena Corinthians.

Só o Fortaleza devolveu o apoio em alegria ao vencer o Bahia (2 a 1) e terminar como primeiro time nordestino na classificação.

Porque o Vasco só empatou com a rebaixada Chapecoense (1 a 1) e o Corinthians perdeu para o Fluminense (2 a 1).

A última rodada teve 27 gols e média de público de 25.500 torcedores por jogo.

O que deixou a média do campeonato em 21.270 pagantes por jogo, a segunda maior desde o primeiro Brasileirão, em 1971.

Atrás apenas da média de 1983, que teve 22.953 e acima da de 1987, com 20.877.

Tanto em 1983, quanto em 1987, como agora, o campeão foi o Flamengo.

Coincidência? É claro que não!

Comentário para o Jornal da CBN desta segunda-feira, 9 de dezembro de 2019.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri