PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Timão sobre-humano em Quito! Mas eliminado em Itaquera

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

25/09/2019 23h28

O Corinthians fez um primeiro tempo pertinho do céu a 2.850 metros de altitude em Quito simplesmente irrepreensível.

Deixou a iniciativa para o Independiente Del Valle na primeira metade e tratou de se adaptar às difíceis condições do jogo.

Aos poucos foi tomando conta das ações e abriu o placar com Boselli, aos 28 minutos, em passe perfeito de Vagner Love e bola recuperada pelo monstruoso Ralf.

Seguiu melhor, foi capaz de explorar a surpresa do adversário e por um pecado mortal não ampliou aos 44', quando Vagner Love deu um rush impressionante e carimbou o travessão equatoriano.

Ainda na sequência do lance, Pedrinho deu de calcanhar para Ramiro, ele cruzou rasteiro e Love chegou um décimo de segundo atrasado com o gol aberto.

Haveria todo o segundo tempo pela frente, exatamente o período em que a falta de ar se faz mais presente.

Mas a façanha dos 45 minutos iniciais já valia, entre outras coisas, para reconhecer o belíssimo trabalho do time e do técnico Fábio Carille.

Não era uma atuação simplesmente heróica, mas sobre-humana, daquelas de comprovar que nunca se deve duvidar do Corinthians, como o blogueiro fez.

Aos 56', Gabriel Torres, algoz em Itaquera com dois gols, perdeu o empate de maneira incrível, quando o Del Valle começava a se impor fisicamente.

Precisando de pulmão, o Timão trocou Ramiro por Clayson, aos 62'.

Mas, aos 69', Manoel teve de sair vendido para cobrir a ausência de Fagner, errou o bote, e o lépido Jhon Sanchez, empatou.

Era mesmo inevitável.

Restava ao Alvinegro seguir honrando a camisa com a dignidade que mostrava.

A vaga na final foi perdida em casa numa noite para esquecer.

Hoje, não.

Quem esperava até uma goleada, como o blogueiro, se surpreendeu com a atuação corintiana.

E o Fiel tem por que lamentar a bola no travessão de Love, que poderia permitir ao time administrar o segundo tempo com o 2 a 0 que levaria aos pênaltis.

Boselli, muito bem, saiu para Gustagol jogar aos 79'.

Aos 80', Danilo Avelar sofreu pênalti e Clayson fez 2 a 1, para dar ainda mais heroísmo à jornada corintiana. E dramaticidade!

Júnior Urso entrou no lugar do extraordinário Ralf, a tempo de ver o empate equatoriano, em contra-ataque: 2 a 2.

Nada a reclamar.

O Del Valle mereceu estar na final e o Corinthians, por chavão que pareça, caiu em pé, depois do vexame em Itaquera.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri