Topo
Blog do Juca Kfouri

Blog do Juca Kfouri

Categorias

Histórico

Grêmio maltrata o Cruzeiro no Horto

Juca Kfouri

08/09/2019 12h50

Como era de se esperar, eliminados da Copa do Brasil e com Libertadores, só para o Grêmio, apenas no dia 2 de outubro, Cruzeiro e gaúchos protagonizaram ótimo jogo no Horto.

Os tricolores chegaram a ameaçar um massacre ao fazerem gato e sapato da defesa mineira, com direito a gol de letra de Diego Tardelli e outro, em ritmo de linha de passe entre Everton e Alisson, com o ex-cruzeirense fazendo 2 a 0, aos 27 minutos, nove depois do 1 a 0.

Com Cacá no lugar de Dedé, a defesa celeste vivia um inferno.

A superioridade gaúcha era tal que o Horto, vazio, passou a vaiar o Cruzeiro.

Rogério Ceni sacou David e pôs Pedro Rocha ainda aos 29' e a torcida não perdoava a cada vez que Thiago Neves pegava na bola.

Até que, aos 34', Henrique foi tocado por Michel na área e Fred diminuiu na cobrança do pênalti, para reanimar o clássico que já estava muito bom e que tinha visto Paulo Victor evitar um gol de cabeça exatamente de Fred, aos 7'.

O goleiro, por sinal, chegou a tocar na bola na cobrança da penalidade.

O segundo tempo prometia.

Pena que, no quinto minuto, Pedro Geromel saiu lesionado, aparentemente com gravidade, trocado por David Braz.

Era a inspiração gremista contra a transpiração cruzeirense.

Aos 15', um pênalti claro para o Grêmio deixou de ser considerado pela arbitragem, num toque de mão de Léo em chute de Alisson.

Três minutos depois, Matheus Henrique puxou contra-ataque pela direita e virou o jogo para Everton, pela esquerda, fazer o 3 a 1, em belíssimo gol.

O Cruzeiro tomava o sexto gol gaúcho em dois jogos, somados os três do Inter pela Copa do Brasil.

Ezequiel substituiu Thiago Neves, vaiado.

A máquina gremista evoluía soberana no Horto e deixava clara a falta que Everton fez na Arena da Baixada.

Pepê substituiu Tardelli, que foi bem, muito melhor que André.

Aos 27', Paulo Victor evitou gol de Ezequiel e Sassá entrou no lugar de Robinho.

O jogo seguia muito bom, embora a torcida chamasse o time comandado por Rogério Ceni de sem vergonha e mandava o notório Itair Machado tomar caju.

Aos 31', o Cebolinha deu um drible da vaca em Léo e ficou na cara de Fábio para fazer 4 a 1.

Luan foi para o jogo no lugar de Michel.

Renato Portaluppi beirava o sadismo enquanto o Grêmio trocava passes, a torcida dava olé e ele queria mais gols, ao tirar um volante e botar mais um atacante.

Aos 40', outra vez Paulo Victor evitou gol de cabeça de Fred, que amenizaria a humilhação imposta pelos gaúchos na capital das Minas Gerais.

Em compensação, aos 45' e aos 49', por pouco, duas vezes, Luan não fez o quinto…

A exibição gremista alimenta a expectativa para o que serão os jogos contra o Flamengo.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Mais Blog do Juca Kfouri