Topo
Blog do Juca Kfouri

Blog do Juca Kfouri

Categorias

Histórico

O VAR vira para o Grêmio

Juca Kfouri

13/07/2019 18h53

O Grêmio faz de novo o que vem sendo habitual no Brasileirão: despreza o campeonato e aposta nos mata-matas da Copa do Brasil e da Libertadores.

Assim, permanecerá por muitos anos com apenas dois títulos, o último em 1996, no século passado, portanto.

Convenhamos, não é marca à altura da grandeza gremista.

Renato Portaluppi, é claro, tem o apoio da direção para decidir.

E foi com time alternativo que recebeu o Vasco no péssimo gramado de seu estádio.

O Cruzmaltino na dele, ao deixar a bola com o time gaúcho e especular.

Assim, viu o estreante David Braz fazer um pênalti estúpido e Pikachu abrir o placar, aos 14 minutos, com o que o jogo ficou ao feitio dos cariocas, praticamente sem correr riscos com o tico-tico gaúcho, além de, no finzinho do primeiro tempo ter criado duas boas chances de gol.

Mais: antes do 20° segundo do segundo tempo, já com Everton no Grêmio, no lugar de Rômulo, desde os 37 minutos da primeira etapa, Pikachu entrou driblando na área tricolor e fez belo 2 a 0.

Sem a menor necessidade o VAR chamou o assoprador de apito que acabou por anular o gol ao ver falta, inexistente, de Rossi em Matheus Henrique.

Então, aos 15', de tanto insistir, Pepê empatou em grande passe de Luan: 1 a 1.

O Vasco era castigado com o empate produzido pelo VAR e pelo assoprador.

O Grêmio seguiu na perseguição da virada, o Vasco se defendia, explorava contra-ataques e a insegurança de David Braz.

Aos 20', em jogada de Luan, Pepê perdeu gol incrível.

A virada amadurecia.

Vanderlei Luxemburgo pôs Marrony no jogo e sacou Valdívia.

É claro que o empate era resultado bom para o Vasco antes do começo do jogo, mas não era pelo erro de apito.

Aos 27', por pouco, Marcos Júnior não pôs o Vasco na frente outra vez, em rebote de Paulo Victor.

O garoto Talles Magno substituiu Marquinhos no Vasco e Da Silva substituiu Matheus Henrique, aos 30'.

O jogo ficou franco, porque o Vasco resolveu que também queria vencer e ainda trocou Marcos Júnior por Lucas Mineiro, aos 34'.

Luan saiu e Patrick entrou no Grêmio.

Qualquer um dos times poderia fazer o gol da vitória e o justo seria que fosse o Vasco.

Mas foi o Grêmio quem virou, novamente com Pepê cabeceando passe perfeito de Léo Moura: 2 a 1.

Estava consumada a injustiça.

E Renato Portaluppi dirá que tem razão em sua escolha.

Mas se o Vasco fica com o 2 a 0…

O Grêmio, em contra-ataque fulminante, ainda teve a oportunidade de ampliar, mas o goleiro Fernando Miguel evitou o gol de Patrick.

Assim como, aos 49', Lucas Mineiro, de cabeça, quase empatou, diante de 9.701 pagantes.

Já em Fortaleza, o time de Rogério Ceni seguiu em sua boa campanha e com dois gols de Wellington Paulista venceu o condenado Avaí por 2 a 0, diante de 24.210 torcedores.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Mais Blog do Juca Kfouri