Blog do Juca Kfouri

O adversário alemão do São Paulo não é fraco

Juca Kfouri

POR FELIPE SANTOS SOUZA

Se o Flamengo estreia contra o Ajax, nesta quinta, no torneio da Flórida, o São Paulo também faz seu primeiro jogo oficial em 2019 contra um clube europeu: o Eintracht Frankfurt, da Alemanha.

Claro que o Eintracht Frankfurt não é o Borussia Dortmund, líder do Campeonato Alemão, nem o Bayern de Munique (que pode estar irregular na temporada, mas é o Bayern).

Mas não é um time fraco: ocupa o sexto lugar do campeonato e ganhou, na temporada de 2018, a Taça DFB, a segunda mais importante do futebol germânico.

Mais do que isso: na Liga Europa, segundo torneio continental de clubes em importância na Europa, classificou-se à segunda fase, vencendo todos os jogos de seu grupo (que incluía a Lazio, da Itália, e o Olympique de Marselha francês).

O destaque da equipe é o meio-campista sérvio Mijat Gacinovic, embora sobrem jogadores experientes em outros lugares do time treinado por Adi Hutter.

O goleiro alemão Kevin Trapp, por exemplo, que jogava no Paris Saint-Germain até outro dia; o volante japonês Makoto Hasebe, com várias Copas do Mundo pela seleção nipônica; outro volante, o suíço Gelson Fernandes. Ainda há outro sérvio, o atacante Luka Jovic, grande responsável pelos gols do time de Frankfurt – se ele falhar, na reserva está o croata Ante Rebic, um dos vice-campeões mundiais no ano passado.

Claro: é torneio amistoso, a equipe alemã está apenas se acertando para voltar ao ritmo normal, o São Paulo ainda está em pré-temporada.

Mas apesar de não ser o Bayern nem o Dortmund, o Eintracht Frankfurt tem força para exigir algo do São Paulo.

Pelo menos, com as contratações que fez, a impressão é de que o São Paulo agora tem esse “algo” a dar.