Blog do Juca Kfouri

A Copinha é um trem

Juca Kfouri

Por Marcelo Torres*

São Paulo, o estado, é a locomotiva do Brasil.

São Paulo, capital, é como o mundo todo.

Assim cantou Caetano, o baiano.

Um mineiro talvez diga que São Paulo é um trem.

Porque tudo para o mineiro é trem.

Menos o trem, que é a coisa.

E lá se foi a coisa, ou melhor, o Trem.

O Trem foi jogar a Copinha São Paulo.

Não, não foi o Trem das Onze.

Mas o Trem Desportivo Clube.

Lá de Macapá, a capital do Amapá.

É Trem porque fundado por ferroviários.

E a Ferroviária, a de Araraquara, também foi.

Além da Desportiva Ferroviária, do Espírito Santo.

Desportiva esta que ganhou do Vitória.

Vitória, o baiano que é xará do rival da Desportiva.

Porém ambos, a Desportiva e o Vitória, se classificaram.

E se o Vitória passou de fase, o Bahia ficou no caminho.

Foi eliminado pelo Taquaritinga.

A Copa São Paulo tem Flamengo do Rio e de São Paulo.

A Inter de Limeira e o de Porto Alegre.

O Botafogo do Rio e o de Ribeirão Preto.

O América de Natal e o Mineiro.

E não podiam faltar os três Atléticos:

O de Minas, o de Goiás e o do Paraná.

Tem Marília de São Paulo e Marília do Maranhão.

Tem o ABC, o CSA, o CRB.

Tem o Horizonte, que representa o Ceará.

O Holanda, que representa o Amazonas.

E tem o Galvez, que representa o Acre.

De Sergipe, tem o Sergipe, o Confiança e o Lagarto.

Lagarto que é a terra de Diego Costa, da seleção espanhola.

São Paulo tem o Tupã e o Taubaté, Santa Catarina tem Tubarão.

Temos também o Legião, de Brasília.

O nome homenageia a banda de Renato Russo.

O River também foi.

Não o argentino, mas o piauiense.

Tem o Porto, não o europeu, mas o pernambucano.

Tem o Trindade, de Goiás, e o Água Santa, de São Paulo.

E o Peixe, obviamente, pois o Santos não podia faltar.

Aliás, santo é o que não falta na copinha.

O São José veio do Rio Grande do Sul.

Tem o trio do ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano.

São Raimundo representa Roraima.

São Bento, São Carlos e, obviamente, o São Paulo.

Para completar, temos o Visão Celeste, do Rio Grande do Norte.

É um grande barato essa Copinha.

Copinha que agora está completando cinquentinha.

Marcelo Torres é jornalista, baiano, torcedor do Vitória, mora em Brasília.