Blog do Juca Kfouri

Willian Bigode não cumprimentou Bolsonaro

Juca Kfouri

A cena lembra o craque chileno Carlos Caszely que, em 1974, em plena ditadura no Chile, recusou-se a cumprimentar o ditador Augusto Pinochet quando a seleção andina foi obrigada a ir se despedir do general antes de embarcar para a Copa na Alemanha.

Como retaliação, a mãe de Cazsely foi presa e torturada.

Claro que há uma diferença enorme: Bolsonaro foi eleito.

Não se espera nenhuma vingança.

ATUALIZAÇÃO ÀS 20h55: A assessoria de Willian informa que o jogador não viu Jair Bolsonaro e que nada tem contra ele.

Acredita quem quiser.

Está claro que depois da repercussão trataram de acomodar as coisas.

Não ver o presidente eleito no pódio é digno de Steve Wonder!