Blog do Juca Kfouri

Restou o Inter graças ao assoprador de apito

Juca Kfouri

Hoje tinha de ganhar ou ganhar, na bola ou na marra.

Ganhou na marra, de virada, 2 a 1.

É o vice-líder, a cinco pontos do Palmeiras, ainda sonhando com o tetra, em sair da fila desde 1979 e ser o primeiro campeão a vir da Série B.

Invicto no Beira-Rio, contra os reservas do Atlético Paranaense, virgem de vitórias como visitante, nem empatar era aceitável.

E o Colorado só empatava até os acréscimos.

1 a 0, gol de Camacho, aos 18 minutos do segundo tempo, em bola desviada em Moledo, o Furacão na frente.

O mesmo Moledo desviou outra vez, 18 minutos depois, mas dessa vez para empatar.

Era pouco, pouquíssimo.

Seguia invicto em casa e mantinha a virgindade do rival, mas ficava a sete pontos do líder Palmeiras.

Então, nos acréscimos, Rossi caiu na área e o assoprador de apito deu um pênalti inexistente, mandrakíssimo, para D’Alessandro converter.

Só o Inter ameaça o Palmeiras.