Blog do Juca Kfouri

Inter despenca na Ilha do Retiro

Juca Kfouri

Sport e Inter fizeram um primeiro tempo simplesmente horroroso.

Do Sport, vice-lanterna, não se esperava outra coisa.

Do Inter, vice-líder, muito mais.

Só que o Colorado parecia anestesiado, como se tivesse passado a tarde na praia de Boa Viagem.

Com o 0 a 0 no placar os gaúchos foram para o intervalo como líderes do Brasileirão, mas, certamente, com o futebol apresentado o título não virá.

Se um inglês tivesse visto os 45 minutos iniciais perguntaria que esporte é esse?

Odair Hellmann que tratasse de fazer seus comandados jogarem futebol.

Até porque a Ilha do Retiro era uma ilha meio deserta, sem pressão, só com mau gramado.

A ausência de Edenílson no meio campo era sentida, mas não justifica a péssima atuação colorada.

De fato, o treinador gaúcho deve ter falado grosso no vestiário, porque, logo no primeiro minuto do segundo tempo, Patrick fez Magrão operar sua primeira defesa no jogo.

Aos 10′, sem que o Inter mantivesse a agressividade inicial, D’Alessandro, 37 anos, substituiu Rossi.

Uma esperança de futebol…

Para fazer justiça, será bom dizer que Michel Bastos, aos 35 anos, jogava bem pelo lado dos donos da casa.

Foi ele, aliás, quem deu o primeiro chute ao gol de Marcelo Lomba, aos 15′, com uma hora de jogo.

O empate só permitiria ao Inter dormir como líder, porque qualquer resultado no Morumbi, amanhã, entre São Paulo e Palmeiras, ou devolveria o primeiro lugar ao Alviverde ou voltaria ao Tricolor.

Mas, aos 21′, uma saída em falso da zaga nordestina resultou em bola no pé de D’Alessandro, dele para Nico López com açúcar e 1 a 0 no placar.

Agora sim, pressão no Verdão, que terá de vencer o Choque-Rei para permanecer na liderança.

Parecia impossível ao Sport fazer um gol sequer, como não fez, na nona rodada, no Beira-Rio, quando de lá saiu com valioso 0 a 0.

Marlone foi embora e Rafael Marques chegou, aos 27′.

O Sport tentava pressionar, mas fazia pouco mais de cócegas na defesa colorada.

Só aos 32′, um cruzamento tomou direção maliciosa e obrigou Lomba a fazer grande defesa.

Na cobrança do escanteio, o jovem, e estreante, zagueiro Adryelson subiu mais que Pottker e fez o improvável: empatou 1 a 1.

Voltava tudo ao estágio anterior.

Charles havia entrado no lugar de Camilo, para fechar, segundos antes do empate e aí Jonathan Alves foi chamado para recompor a força ofensiva, no lugar de Pottker, aos 39′.

Restaria ao Inter torcer por empate no Morumbi, para não ficar dois pontos atrás do Palmeiras ou um atrás do São Paulo e seguir, ao menos, com o mesmo número de pontos do Alviverde.

Só que ficou pior, diante de 9.979 torcedores.

Aos 42, Charles saiu jogando mal, Felipe Bastos que acabara de entrar ficou com a bola e a deu para Michel Bastos passar com carinho para Mateus virar para 2 a 1.

Bobeada monstruosa do Inter em óbvia decadência.

Ao que tudo indica não será desta vez que um time vindo da Série B ganhará a Série A.

Desde a derrota para a Chape, o Colorado empatou com o Corinthians graças a um gol em impedimento de Damião, venceu o Vitória com um pênalti inexistente e perdeu hoje do vice-lanterna.