Blog do Juca Kfouri

Palmeiras derrete o gelo dos Andes

Juca Kfouri

O Palmeiras começou a jogar em Santiago como um time superior deve fazer em qualquer que se apresente: impondo-se.

A tal ponto que antes de chegar ao terceiro minuto, Borja se aproveitou da bobagem de um chileno na saída da área, foi à linha de fundo, a bola passou de pé em pé, até que Moisés em vez de finalizar recuou para Bruno Henrique arrematar a bela jogada coletiva e fazer Palmeiras 1, Colo-Colo 0.

Fez-se um silêncio sepulcral na cordilheira dos Andes.

Mais tarde ela virou gelo derretido.

Em desvantagem, os chilenos tentaram reagir, conseguiram apenas uma vez levar perigo ao gol brasileiro e sofreram com pelo menos três ataques rápidos que poderiam ter culminado com o segundo gol alviverde.

Valdivia esbanjava categoria e jogadas vistosas na intermediária palmeirense.

E foi ele quem sofreu falta pela direita que, cobrada, obrigou a defesa parcial de Weverton e a perda do rebote por Barroso, por cima do gol.

O Colo-Colo terminou melhor o primeiro tempo, mas sempre correndo o risco dos contra-ataques.

E começou o segundo ainda melhor, porque causando problemas na área paulista e sem ser incomodado.

Até o VAR foi acionado para tirar a dúvida em lance típico de bola no braço de Mayke.

Mas o Palmeiras recuou demais, esquecido de sua superioridade e brincando com o perigo.

Aos 18 minutos, Felipão tratou de tirar Borja e reforçar o meio de campo com Jean.

O colombiano saiu chateado, aparentemente com ele mesmo. Com razão, se foi isso mesmo.

Valdivia dava as cartas no jogo, com mais liberdade do que seria prudente.

Barrios tirou lasca da trave de Weverton aos 23′ e, na resposta, ao tentar passar para Dudu, Willian desperdiçou o primeiro bom ataque palmeirense na etapa final.

Estranhamente, aos 27, Dudu teve o gol à disposição e jogou para trás.

O Verdão era a imagem acabada de seu treinador.

Para parecer ainda mais, ele tirou Thiago Santos e pôs Gómez no jogo.

A aposta no contra-ataque estava feita e não deu outra.

Willlian puxou o contra-ataque, chutou, o goleiro Orion desviou a bola bateu na trave e sobrou para Dudu aumentar para 2 a 0, aos 33′.

No fim, com o VAR, Dámian Pérez foi expulso por uma falta cavalar em Mayke.

Mayke saiu como rei do VAR no Chile. Inocente na primeira vez e vítima na segunda.

E o Palmeiras é o visitante mais indigesto desta Libertadores, ao vencer todos os jogos que fez fora da casa.

Pinta uma semifinal entre Palmeiras e Boca Juniors, com a ironia de ter sido o Verdão quem pôs o Boca na fase de mata-mata.

E outra entre Grêmio e River Plate.

Já pensou?