Blog do Juca Kfouri

O jejum, o perigo, a graça e o sentido das palavras

Juca Kfouri

1.Entre Galo e Inter ontem no Horto havia mais que a disputa de três pontos.

Estava em jogo, também, manter viva a esperança de permanecer na luta por sair do jejum em que ambos estão no Campeonato Brasileiro — os mineiros desde 1971, a primeira edição do torneio, e os gaúchos desde 1979.

A do Colorado sobreviveu.

2. Com aprovação de 65% dos sócios que votaram o Palmeiras poderá ser presidido pela patrocinadora Leila Pereira a partir de 2021.

Em nome do imediato, o futuro está comprometido.

Resta saber se quem votou tem presente o risco que está embutido na decisão.

Como na Inglaterra, o clube pode passar a ter dono, risco que na bem-sucedida experiência alemã não existe.

3. O Corinthians tenta trazer do futebol chinês o paraguaio Óscar, gêmeo de Ángel, sempre visto como melhor que o irmão.

Está difícil, mas se acontecer será, no mínimo, divertido.

Difícil é pouco. Óscar recebe meio milhão de dólares mensais na China.

A narração de uma tabelinha entre os dois será uma atração à parte.

4. Neste Brasil em que o analfabetismo funcional é um problema sério, não surpreende que o departamento de árbitros da CBF, e os analistas de arbitragem, confundam “orientação” com “determinação”.

E o conselho para só considerar em impedimento o jogador que tocar na bola, virou ordem.

Daí a punição aos que acertaram em anular o gol do Botafogo contra o Santos.

Confundir uma coisa com outra validará um gol feito por um jogador em posição legal depois que um companheiro, em impedimento, furou a bola ao tentar tocá-la.

Quem duvidar sobre o significado da palavra “orientação” que consulte o dicionário.

Orientação só tem o sentido de determinar quando em relação aos pontos cardeais.