PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Blog do Juca Kfouri

Na marra, ninguém tira a liderança tricolor

Juca Kfouri

26/08/2018 12h57

Manhã fria, 13º, no Morumbi tomado, jogo agressivo no gramado, o São Paulo no ataque, o Ceará na defesa.

Um Tricolor inicialmente envolvente ao jogar pelos lados; um Vozão concentrado o tempo todo em evitar ser vazado.

Aos 12 minutos de jogo, o melhor momento; ou melhor, os melhores momentos: Rojas fez ótima jogada pela direita do ataque, entrou na área e deu para trás para Reinaldo chutar com força e o goleiro Everson defender com rebote para Éverton bater de novo e o goleiro cearense evitar o 1 a 0 com o pé.

Parecia mentira, mas o gol não saiu.

O Ceará fazia faltas seguidas perto de sua área, mas o São Paulo não as aproveitava.

Assim transcorreu o primeiro tempo, como antecipação do que viria no segundo.

Everson fazia cera, recebia cartão amarelo e não deixava passar nem pensamento.

Sidão não trabalhava e quando repunha a bola em jogo era apressado pelo torcedor.

Quando faltavam 30 minutos para o jogo acabar, Diego Aguirre tirou o volante menino Luan e pôs o menino atacante Shaylon.

Já havia um certo ar de drama no Morumbi cuja torcida detesta ser chamada de bambi , mas mantém o odioso grito de bicha quando o goleiro adversário bate tiro de meta.

Aos 18', Leandro Carvalho perdeu gol feito ao permitir a defesa de Sidão, na oportunidade mais clara é fácil do jogo.

Cinco minutos depois, Éverton sentiu uma lesão muscular e foi trocado por Régis, desfalque grave para o Tricolor, que já não terá Nenê no próximo jogo, contra o Fluminense, também no Morumbi.

Em seguida foi a vez de Rojas ter a chance do gol são-paulino e desperdiçá-la.

Sim, a partida virava drama.

O jogo chegou aos 30 minutos e o Morumbi era um misto de silêncio e impaciência.

O alívio e a explosão vieram em seguida, aos 32', em excelente descida de Reinaldo pela direita da defesa, o passe para Diego Souza na marca de pênalti e dele a abertura para Bruno Peres fazer o gol do desafogo: 1 a 0.

Por reclamação, Leandro Carvalho foi expulso dois minutos depois.

Ele que perdera gol feito, deixou o Ceará com dez. Um papelão.

Aí, então, o São Paulo tomou conta de vez da partida, diante de 57.323 torcedores.

Porque nada é fácil no Brasileirão, o São Paulo, no peito e na raça, manteve a liderança, para desencanto de colorados e rubros-negros cariocas.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri