Blog do Juca Kfouri

Estrangeiros fazem a festa na Libertadores

Juca Kfouri

Enquanto, no Rio, Flamengo e Cruzeiro jogavam futebol, Colo-Colo e Corinthians guerreavam, em Santiago, pelas oitavas de final da Libertadores.

Jogo de poucas faltas (11) e técnico no Maracanã, embora Thiago Neves tenha feito uma que mereceria vermelho e ficou pelo amarelo.

Jogo de três cartões amarelos, 17 faltas, e brusco no Monumental.

Ambos os estádios com muita gente, embora só o chileno estivesse lotado.

O Maraca com 45 mil torcedores, o Monumental com 40 mil.

O Cruzeiro, comandado por Arrascaeta, saiu na frente com gol do uruguaio, aos 9 minutos, em passe de Robinho.

O Flamengo foi à luta, teve 11 escanteios contra um, criou pelo menos duas chances de gol claras, mas o Cruzeiro, com apenas duas finalizações, fez um gol e mandou uma bola no travessão, com Thiago Neves, em outro passe brilhante de Robinho.

O Corinthians até que começou bem, mas cedeu espaço, não finalizou nenhuma vez com perigo, viu Cássio fazer um milagre e, depois, dar rebote numa defesa difícil, ninguém cobrir e Carmona fazer 1 a 0, aos 37 minutos, em lance iniciado pelo ex-palmeirense Valdivia.

Ontem os argentinos se deram melhor que o Grêmio, os chilenos venciam o Corinthians e um uruguaio causava calafrios no Flamengo.

O Flamengo começou o segundo tempo na pressão e Fábio fez grande defesa em cabeçada de Uribe.

Só dava Flamengo e aos 16′ Mano Menezes trocou Barcos por Raniel.

Vitinho substituiu Jean Lucas no Flamengo em seguida.

Na primeira bola que pegou, Raniel tirou tinta da trave, de fora da área.

Ouvia-se mais a torcida celeste que a rubro-negra.

Aos 27′, Rafinha substituiu Robinho.

O Flamengo não tinha uma ideia e Dedé era soberano na área mineira.

Marcelo Barbieri sacou Marlos Moreno e para Lincoln jogar, aos 31.

No minuto seguinte, porém, Lucas Silva chutou de fora da área e Thiago Neves desviou para fazer 2 a 0.

E saiu para Ariel Cabral entrar.

Pará no lugar de Rodinei, aos 39.

Mas foi Diego Alves quem evitou, aos 46, que Raniel marcasse o terceiro gol, como evitou que Rafinha o fizesse logo depois.

E o Colo-Colo mostrava que queria matar o mata-mata no mata, apesar de ter terminado a fase de grupos em 16º e último lugar.

Logo aos 8′, Gabriel fez uma falta burra ao dar solada no meio de campo e levou o segundo cartão amarelo, deixando o time com dez. Um Jênio!

Osmar Loss pôs Léo Santos e tirou Jadson. Para perder por pouco…

Só dava Colo-Colo, mas sem levar perigo.

Emerson Sheik entrou no lugar de Clayson.

Aos 33′, o Corinthians chutou para a primeira defesa, fácil, de Orion, que jogava no Boca Juniors quando o Alvinegro ganhou sua Libertadores.

Estranhamente o Colo-Colo se satisfez com a vantagem magra e aos 38′ quase sofreu o empate, em passe precioso de Pedrinho que Danilo Avelar arrematou muito mal de dentro do área.

Logo depois, foi a vez dos chilenos perderem gol feito em mais um rebote de Cássio.

E no minuto seguinte o goleiro evitou o segundo gol nos pés de Barrios, em milagre milagroso…

Henrique sentiu e saiu. Carlos Augusto entrou.

Ao Flamengo restarão o Brasileirão e a Copa do Brasil.

O Corinthians ainda está vivo na Libertadores, pode até passar pelo Colo-Colo em Itaquera, mas parece impossível que vá mais longe.

Resta ao Palmeiras, nesta quinta-feira em Assunção, não permitir mais uma festa estrangeira e vencer o paraguaio Cerro Porteño.

Mas, é claro, o celestial De Arrascaeta é Cruzeiro de corpo e alma.