Blog do Juca Kfouri

São Paulo humilha o Corinthians no Morumbi

Juca Kfouri

O Corinthians já chegou ao Morumbi, com 58.624 mil torcedores, perdendo o jogo.

Porque seu ônibus foi apedrejado por covardes e porque foi anunciada a venda do melhor jogador de linha do time, o meia Rodriguinho, para o futebol do Egito.

Sim, não foi para o futebol europeu, ou japonês ou chinês. Ele vai para o futebol egípcio.

Jogará no Pyramids, já ouviu falar?

E ele jogava no clube que, em 2012, o complicado cartola Andrés “Desmanches” Sanchez anunciava como um dos três maiores do mundo em 2015.

Rodriguinho entrou em campo, mas praticamente não jogou durante todo o primeiro tempo, repleto de faltas, 22, 15 feitas por corintianos, e com arbitragem complacente.

Só o São Paulo queria ganhar, mas nem assim Cássio teve de trabalhar muito, como Jean não teve de trabalhar nada.

Muito marcado, Nenê só aparecia nas bolas paradas e Reinaldo, pela esquerda, era quem melhor se apresentava no Tricolor, além de Anderson Martins, soberano na zaga.

O Corinthians acabou por ter a melhor oportunidade, mas desperdiçada por Jonathas, mais um centroavante grandalhão e incapaz de matar uma bola que despenca no Parque São Jorge.

Ocorre que o empate era ruim para o São Paulo e esperava-se coisa melhor no segundo tempo.

O segundo tempo começou mais animado, com chances alternadas e boas intervenções das duas defesas.

Mas o jogo devia em relação à expectativa criada.

Nenê batia escanteios atrás de escanteios até que Anderson Martins subiu mais que todo mundo e abriu o placar, aos 11 minutos.

Justiça a quem jogava para vencer.

Então Jadson foi para o jogo, no lugar de Renê Júnior.

O Morumbi era uma festa só.

Que aumentou aos 25′, quando Reinaldo ampliou depois de uma bobeada geral do sistema defensivo corintiano, de Gabriel a Cássio.

Daí Osmar Loss tirou o inútil Marquinhos Gabriel e pôs Clayson no jogo.

O Corinthians perdeu a cabeça e ficou na iminência de levar mais.

Diego Souza, por exemplo, bateu falta no travessão, aos 29′.

E Léo Santos substituiu Pedro Henrique, machucado, aos 35′.

Aos 36′, Reinaldo coroou sua bela atuação num frango de Cássio para o Morumbi se esbaldar: 3 a 0.

Gonçalo Carneiro estreou no São Paulo no lugar de Nenê, ovacionado.

Luan Santos também entrou no lugar de Edimar e Lucas Fernandes no de Hudson.

Diego Aguirre punha a garotada para jogar.

Aos 45, Jonathas, usando o braço, achou um gol para diminuir a catástrofe.

Se tem o VAR, seria anulado.

O Tricolor se firma na vice-liderança como candidato ao título depois de vencer o Flamengo e o Majestoso, com o Grêmio, em Porto Alegre, e o Cruzeiro, em Belo Horizonte, como próximos adversários.

E o Corinthians, com sete jogadores amarelados no clássico, permanece em oitavo, região que deverá frequentar até o fim do Brasileirão, se é que não despencará, tamanha sua fragilidade e falta de comando.

Receberá, depois da humilhação de hoje, o favorito Cruzeiro no meio de semana.

O futuro corintiano é escuro.

O são-paulino, luminoso.