Blog do Juca Kfouri

Insistência santista empata com preguiça palmeirense

Juca Kfouri

O torcedor santista foi ao Pacaembu disposto a vaiar Luca Lima.

E o vaiou à vontade.

Mas logo aos 6 minutos silenciou quando ele aparou e virou com categoria um belo passe de Willian para abrir o placar: 1 a 0.

Como tem sido frequente diante da estupidez da torcida única, Lucas Lima ficou sem saber direito como comemorar, apontou o escudo alviverde, o nome dele nas costas e recebeu um absurdo cartão amarelo.

O Santos que começou o clássico disposto a atacar, seguiu na mesma toada, mas com Gabriel capaz de desperdiçar oportunidade rara proporcionada por Sasha.

O Palmeiras estava confortável com a vantagem, Felipe Melo comandava o meio de campo e apenas Gustavo Scarpa decepcionava.

Do mesmo modo, do outro lado, Bruno Henrique não desempenhava o futebol de que é capaz.

Em jogo bem disputado, a zaga santista ainda salvou, no fim do primeiro tempo e na linha fatal, o segundo gol palmeirense, fruto de contra-ataque bem armado que Hyoran concluiu com precisão, mas Gustavo Henrique salvou.

A diferença individual e coletiva entre os dois times se impunha e o Alviverde marchou para o intervalo na frente.

E voltou para o segundo tempo para cozinhar o Peixe, tática sempre perigosa com vantagem mínima, num jogo quente, com farta distribuição de cartões amarelos, oito, cinco para os visitantes, até o 20° minuto da etapa final.

Que não era tão interessante como a inicial.

Aos 21′, Rodrygo se machucou e Yuri Alberto entrou no ataque santista.

O Santos perdia seu atacante mais insinuante.

À altura do 25º minuto o jogo entrou numa certa pasmaceira.

Aos 29, o Palmeiras levou o castigo pela preguiça, com o empate por Gustavo Henrique, pegando o rebote de uma bola no travessão.

Minutos antes, uma caneta de Victor Ferraz em Lucas Lima havia feito o Pacaembu vibrar.

Jean e Deyverson entraram nos lugares de Willian e Hyoran, para acordar o Palmeiras.

Mais de 26 mil torcedores viam o jogo pegar fogo de novo.

Pela insistência alvinegra e pela malemolência alviverde, o resultado era justo.

Só aos 45′ Vanderlei teve de trabalhar, num chute de Bruno Henrique de fora da área.

O goleiro santista teve de trabalhar de novo aos 47′ em cabeçada de Deyverson e, aos 48′, viu a trave salvar o segundo gol palmeirense em toque de Jean, prova de que se o Alviverde tivesse forçado quando vencia não teria perdido dois pontos.

O Palmeiras caiu para o sétimo lugar, a sete pontos do líder Flamengo.

E o Santos não se afastou como gostaria da zona do rebaixamento, apenas um ponto à frente.