PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Categorias

Estão matando o Brasileirão

Juca Kfouri

14/08/2017 10h05

Por motivos políticos e eleitorais, o calendário do nosso futebol está matando o principal campeonato do país.

Como a manutenção do poder na CBF depende do voto dos presidentes das federações estaduais, a sobrevivência de seus desimportantes campeonatos nos três primeiros meses da temporada faz com que os demais torneios se sobreponham de maneira a levar os clubes que os disputam a abrir mão do Brasileirão.


O caso do Grêmio, neste ano, fala por si só e Renato Portaluppi anunciou ontem que continuará a escalar a "garotada" no Brasileirão.

Como condenar a opção de deixar o Campeonato Brasileiro de lado pela Copa do Brasil e pela Libertadores?


É óbvio que o Brasileirão é mais importante que a Copa do Brasil e menos que a Libertadores.

Mas a primeira garante vaga na segunda caso seja conquistada.


Aí, diante de dificuldade circunstancial no Brasileirão, e de elenco curto para ser bem-sucedido em todas as competições, abre-se mão dele e dane-se.

O que explica, também , a diferença entre o futebol da Seleção e o dos clubes.

Nosso futebol definha a ponto de não termos mais que dois, no máximo três times, capazes de jogar de maneira convincente.

Clubes europeus são capazes de optar pela Liga dos Campeões em detrimento dos campeonatos nacionais.

Mas nunca optam pelas suas Copas para abandonar os campeonatos nacionais.

Como a CBF não sabe o que faz, e os grandes clubes são como vaquinhas de presépio, vivemos essa anomalia que faz do Brasileirão mais importante para quem luta para não cair do que para quem esteja no topo da tabela.

E olhe que não dá para comparar a Libertadores com a Copa dos Campeões.

E viva o Tolima, o Jorge Wilstermann e o Barcelona de Quayquil. Ou o Mazembe e o Raja Casablanca.

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri