PUBLICIDADE
Topo

Blog do Juca Kfouri

Assopradores de apito monopolizam as discussões sobre futebol

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juca Kfouri

18/08/2015 00h22

Não foram os belos gols de Luciano, do Corinthians, ou de Galhardo, do Grêmio, nem mesmo o decisivo de Fred, do Fluminense, os temas dos botecos e dos programas esportivos na segunda-feira que passou.

Os erros dos assopradores de apito e seus auxiliares trapalhões dominaram as discussões.

É claro que torcedor sempre só vê um lado e por isso torce e distorce.

Mas quem tem olhos para ver, e deixa o coração só para bater, viu erros graves, que mexeram no placar de nada menos do que seis dos 10 jogos da última rodada do Brasileirão.

Ontem, aqui, deixei de mencionar que houve impedimento no gol da Ponte Preta contra o Sport, no Recife.

Milimétrico, daqueles até desculpáveis, mas houve.

Mas os outros sete erros capitais em cinco dos jogos não têm desculpa.

Os pênaltis nos jogos do Palmeiras, do São Paulo e do Santos, além do gol mal anulado no jogo do Corinthians, por coincidência todos a favor de times paulistas na gestão feita por paulistas na CBF e na arbitragem, além dos erros contra o Galo em Chapecó, tomaram conta das conversas.

Os erros provavelmente são apenas fruto de incompetência, mas, num país que já viu seu futebol abalado por escândalos como o da Máfia da Loteria Esportiva, em 1982, do "Caso Ivens Mendes", em 1997, e do "Caso Edílson Pereira de Carvalho", em 2005, e que tem os dois últimos presidentes da CBF às voltas com o FBI, para não falar do atual, convenhamos, há motivos para todos ficarmos com um elefante atrás da orelha.

E os assopradores de apito ainda querem receber direito de arena.

Comentário para o Jornal da CBN desta segunda-feira, 18 de agosto de 2015, que você ouve aqui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/jucakfouri/

Blog do Juca Kfouri