Topo

Histórico

Categorias

Foi péssimo, mas poderia ter sido ainda pior!

Juca Kfouri

12/07/2014 18h53

20140712-184423-67463089.jpg

O que é pior logo depois de levar sete gols: ter um pênalti mal marcado que redundou em gol antes do segundo minuto do jogo seguinte ou ficar com 10 jogadores àquela altura porque, embora fora da área, a falta impediu uma clara e manifesta chance de gol?

Ficar com 10 seria pior.

Thiago Silva deveria ter sido expulso e Van Persie converteu o pênalti.

Desenhava-se uma nova catástrofe no Mané Garrincha principalmente porque, 15 minutos depois, a Holanda fez 2 a 0 com Blind, livre, leve e solto dentro da área brasileira em falha de David Luiz, em lance que começou com De Guzmán ligeiramente impedido, daqueles lances em que o bandeirinha tem licença para errar.

A Holanda passeava e o Brasil tentava jogar.

Não gosto de ler escreverem fut em vez de futebol, como se fosse moderno.

Mas a Seleção Brasileira, jogando como se jogava anteontem, joga fute, falta o bol.

O primeiro tempo terminou barato em com vaias, mais tímidas, diga-se, que o surpreendente apoio antes do jogo, durante o hino e no começo do embate até o segundo gol.

Para o segundo tempo a Seleção voltou com Fernandinho no lugar de Luiz Gustavo.

Fernandinho teve um surto de Felipe Melo e pegou Van Persie. Deveria ter sido expulso, mas só levou o amarelo, aos 8.

Hernanes entrou no lugar de Paulinho, aos 11.

A primeira entrada dele em Robben foi criminosa e nem amarelo levou do apitador molão.

Ramires teve a chance de diminuir e chutou para fora.

Depois saiu e Hulk entrou.

Para fechar com chave de bronze, a Holanda ainda fez 3 a 0.

O jogo terminou sob vaias em alto e bom, mau, som.

Marin disse ao repórter Fernando Rodrigues que manteria Felipão se não houvesse nova catástrofe.

Não houve?

Que tal se o primeiro a se demitir for o próprio Marin?

A Holanda, invicta, mereceu o terceiro lugar.

O Brasil, ridículo, mereceria o sexto.

Sexto?!

Não!!!

O CESTO!!!!

NOTAS:

Júlio César, 5, sem culpa, sem milagres;

Maicon, 5, nem choveu nem molhou;

Thiago Silva, 5, deveria ter sido expulso;

David Luiz, 4, sua pior atuação, perdeu o lugar na seleção da Copa;

Maxwell, 3, uma nova avenida;

Luiz Gustavo, 4,5, sucumbiu;

Paulinho, 4, desapareceu;

Oscar, 5,5, o melhor do time;

Ramires, 5, lutou e só;

Jô, 4, jogou?

Willian, 4, jogou?

Fernandinho, 3, entrou para bater;

Hernanes, 3, como Fernandinho;

Hulk, 3, como Fernandinho e Hernanes;

Felipão, sem nota, deveria apresentar seu pedido de demissão.

CBF, zero, porque, se não bastasse perder de 10 a 1 as finais da Copa, o time não ficou no gramado na premiação para os holandeses.

 

20140712-184535-67535419.jpg

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999 e foi colaborador da ESPN-Brasil entre 2005 e 2019. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha, onde permanece com sua coluna três vezes por semana. Apresenta, também, o programa Entre Vistas, na TVT, desde janeiro de 2018.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Blog do Juca Kfouri