Blog do Juca Kfouri

5 de maio: o novo livro de Andrew Jennings

Juca Kfouri

20140422-142911.jpg

Quantos ingressos dos jogos da Seleção Brasileira e da final da Copa do Mundo foram efetivamente colocados à venda na roleta eletrônica que a FIFA criou?

Por que já começam a aparecer ingressos no mercado negro se a entidade diz que todos são nominais?

Algumas respostas poderão ser encontradas em “Um Jogo Cada Vez Mais Sujo“, novo livro do jornalista escocês Andrew Jennings, considerado o inimigo número 1 da FIFA.

“Um jogo Cada Vez Mais Sujo” chega às livrarias no dia 5 de maio.

Assim que tomou conhecimento das denúncias do novo volume de Jennings, o escritório de advocacia que representa a FIFA no Brasil enviou uma notificação para a editora Panda Books, ameaçando-a de processo por “falsas acusações, conteúdo calunioso, conteúdo inverídico e danos à honra e à imagem” caso o livro seja publicado no país.

O escritório BM & A tem como um dos sócios Francisco Müssnich, advogado e amigo de Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF e ex-membro do comitê executivo da FIFA. Ricardo Teixeira é uma das figuras centrais do, como diz Jennings, “Padrão FIFA de fazer negócios e manter tudo em segredo”.

Pela amizade, o doutor Müssnich ganhou do amigo um cargo no comitê organizador da Copa e também uma vaga no STJD.

O que mais tira o sono da FIFA é o capítulo 7 de “Um Jogo Cada Vez Mais Sujo”, que trata da caixa-preta da venda de ingressos para a Copa.

O negócio é administrado pelos irmãos mexicanos Enrique e Jaime Byrom, hoje radicados em Londres.

Eles têm como sócios a Match Serviços de Eventos, que tem Philippe Blatter, sobrinho do presidente da FIFA Joseph Blatter, como acionista.

Jennings conta que tentou contato diversas vezes para ouvir a versão dos irmãos Byrom, que sempre preferiram o silêncio.

Jennings, que investiga os bastidores da FIFA há 20 anos e que lançou “Jogo Sujo” no Brasil em 2010, foi um dos principais responsáveis pelas investigações que resultaram nas expulsões de João Havelange e Ricardo Teixeira da entidade.

Por essas e outras, o jornalista foi banido de todos os eventos da FIFA.