Topo
Blog do Juca Kfouri

Blog do Juca Kfouri

Categorias

Histórico

Papai Noel existe! E é corintiano!!

Juca Kfouri

2017-12-20T12:09:40

17/12/2012 09h40

 

O primeiro tempo no estádio corintiano de Yokohama onde, como jamais se viu na história do futebol mundial, uma torcida de um time que vive a 20 mil quilômetros de distância tomou conta do espaço, e do alarido, teve um herói e um vilão alvinegros.

O vilão, por ironia, foi o herói da Libertadores.

Emerson deixou de dar um gol para Guerrero, outro para Danilo e mandou nas nuvens uma terceira chance diante do gol do Chelsea, que também teve três claras chances de gol.

Todas elas morreram em Cássio.

Na primeira ele fez um milagre em chute à queima-roupa de  Cahill, na segunda defendeu bem uma bola de Fernando Torres e no terceiro fez uma defesa espetacular em finalização de Moses.

O Corinthians fez 45 minutos iniciais bastante bons e encontrou o time londrino mais respeitoso do que contra o Monterrey, sem a ousadia ofensiva da vitória contra os mexicanos.

Num jogo espelhado taticamente, os brasileiros conseguiam neutralizar o lado esquerdo do ataque inglês graças à presença de Jorge Henrique como secretário do capitão Alessandro.

Mas o técnico espanhol Rafa Benitez, que dirigia o Liverpool em 2005, deve ter ido para o vestiário perguntando o que os goleiros brasileiros têm contra ele.

O segundo tempo seguiu equilibrado, bem disputado, tenso, até que, aos 23,   Paulinho deu para Jorge Henrique que pegou a bola pela direita, devolveu para Paulinho na área, ele fez que chutaria, deu para Danilo que puxou para o pé direito e chutou.

A bola, dividida, sobrou pelo alto para Guerrero cabecear para o gol.

Um gol du du du Peru, como diria Osmar Santos, o narrador que eternizou o título de 1977, 23 anos depois, aos, repita-se, 23 minutos no Japão.

Oscar entrou no lugar de Moses, diante de mais de 68 mil torcedores, certamente mais de 1/3 de corintianos.

Com extrema maturidade, ao contrário do que fez na estreia, o Corinthians administrou a vantagem sem correr riscos, absoluto.

A não ser aos 40, quando Cássio fez novo milagre nos pés de Torres, cara a cara.

Martinez, aos 41, entrou no lugar de Guerrero, e Hazard, anulado, por Tite, saiu para entrar Marin, que não se perca pelo nome.

Cahill perdeu a cabeça e foi expulso e Wallace entrou no lugar do esgotado Emerson.

Bola para o mato!

A arbitragem turca deu quatro minutos de acréscimo e Torres, impedido, cabeceou para o gol.

Havia quem dissesse que para ser campeão do mundo era preciso atravessá-lo.

Pois o Corinthians atravessou.

Para ser bicampeão mundial, como o Barcelona, e único entre os brasileiros no torneio da Fifa.

Agora são cinco títulos europeus, para quatro times, e quatro sul-americanos, todos brasileiros,  para três times.

Agora, aguenta! O mundo é, de novo, preto e branco.

Vem para o Cássio você também…

 

NOTA DO BLOGUEIRO: Lamento informar que, desde sábado à noite, o blog está com problemas técnicos, ainda sem prazo para serem solucionados, dificultando o acesso dos que buscam visitá-lo ou nele comentar.

Aqui e aqui, outras notas sobre o bi!

Sobre o Autor

Juca Kfouri é formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de “O Globo” entre 1989 e 1991 e apresentador, de 2000 até 2010, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Colunas na Folha: https://blogdojuca.uol.com.br/lista-colunas-na-folha/

Mais Blog do Juca Kfouri