Blog do Juca Kfouri

Desvendando o Ademir

Juca Kfouri

Por ROBERTO VIEIRA

Caro Juca,

Personagem mitológico, várias lendas se formaram sobre o craque Ademir Menezes. Porém, estas lendas podem ser revistas, trazidas de volta a realidade. Para o bem da biografia de um atleta imortal. Dentre estas lendas, algumas são descritas pelos amigos comentaristas do Blog do Juca sendo que um equívoco foi cometido por minha pessoa. Vamos pois esclarecer as lendas e o erro.

 

  1. Mito: Ademir era mirrado na infância. O fato não corresponde ao mito. Ademir foi campeão pernambucano de natação na infância, estabelecendo vitórias espetaculares nas distancias curtas. A primeira foto do ídolo nos jornais locais é exatamente após uma de suas vitórias nas piscinas. De mirrado ele não tinha nada. E a queixada já estava lá.
  1. Mito: O médico e presidente do Sport, Dr. José Médicis, prescreveu medicamentos que teriam provocado o aumento das ‘extremidades’ e da ‘queixada’ do craque. O fato é que não existe tal medicação nos anos 40 nem na literatura médica nem na realidade científica. Messi não teria vida fácil naqueles tempos.
  2. Ademir cursou medicina. O fato é que Ademir cursou odontologia nas instalações da antiga Faculdade de Medicina aqui em Recife. Durante o curso – o qual nunca chegou a concluir – Ademir atuou pela seleção de medicina em diversos amistosos. Esta verdade é atestada pelo Dr. Lucídio José de Oliveira, escritor e pesquisador, o qual estudou medicina nos anos 40 na mesma Faculdade. O mito médico de Ademir se perpetua em alguns livros sobre o assunto, assim como o mito de que o popular Chacrinha frequentou a Faculdade de Medicina, inverdade histórica. Chacrinha estudou para prestar o vestibular de medicina mas ficou apenas nisso.
  3. A foto da cirurgia de Ademir Menezes presente no artigo pertence aos arquivos do extinto jornal Última Hora, tendo sido registrada pelo fotógrafo Ângelo, no dia 21 de julho de 1953. Esta cirurgia no joelho do craque não corresponde a lesão do amistoso diante do América-PE.

 

 

  1. A fratura originada no encontro de Ademir com o defensor Astrogildo Néri do América-PE, ocorreu durante durante amistoso jogado em Recife em 1951 entre vascaínos e esmeraldinos. A cirurgia da foto não corresponde a correção desta fratura.
  1. Não foi mencionado, porém ontem, logo após a publicação do texto no blog do Juca, o Mestre José Renato Santiago recebeu mensagem do amigo João Alberto, relatando que na ficha de inscrição de 1954 de Ademir no Vasco da Gama, constava a sua data de nascimento como 8 de novembro de 1921. Portanto, caso esta informação seja verdadeira, Ademir completaria ontem 91 anos de idade.

 

PS: Seus comentaristas são craques de bola!

 

  1. Claudia

    12/11/2012 16:28:43

    bacana, Roberto. Gosto mesmo de conhecer sobre história do futebol, artes, música.E tudo está tão relacionado não é?abraços

  2. Missori

    10/11/2012 15:12:56

    Concordo em gênero, número e grau! Ademir, Mestre Ziza, Jair da Rosa Pinto, o próprio Barbosa (um goleiraço), foram vítimas de uma tragédia daquelas que só acontecem a cada cem anos. Jogasse o Brasil mais cem vezes com a seleção uruguaia e perderia mais uma duas partidas. Foram craques que teriam tudo para se perpetuarem na galeria dos maiores jogadores brasileiros de todos os tempos, mas... os deuses do futebol não queriam assim...

  3. alexandre

    10/11/2012 13:32:30

    Porque nâo então perpertua-lo como Ade"mito"Menezes?esse que foi um excelente jogador!!!!

  4. Henrique

    10/11/2012 13:12:42

    Maurício, Tupã fica sim na Alta Paulista, como é chamada aquela região...

  5. Renato Khair

    10/11/2012 13:04:21

    Ademir de Menezes, o 'Queixada', foi 1 dos maiores centroavantes da história do futebol de todos os tempos. Foi campeão por Vasco e Flu e o artilheiro da Copa do Mundo de 1950, pelo Brasil, com 9 gols. Se tivéssemos sido campeões contra o Uruguai, ele teria ficado imortalizado no futebol mundial. Como perdemos, ele, Zizinho e toda aquela grande geração, não teve o mesmo reconhecimento que mereciam. 1 pena.

  6. Marco Aurelio

    10/11/2012 11:45:29

    Retificando..onde está escrito Almir, leia-se Ademir.

  7. Marco Aurelio

    10/11/2012 11:44:47

    Ouvia de meu pai as histórias sobre Almir. Meu pai nasceu em 1916 e acompanhou de perto o futebol do Rio nos anos 30/40, porque embora morasse no interior, trabalhava como viajante. O que ele me falava era do chute do Ademir. A arrancada para dentro da área era fulminante. Notava nos olhos de meu pai um certo espanto com Ademir. Parecia que o considerava um jogador fora do normal. Por isso, sempre coloquei Ademir entre os gênios do futebol brasileiro.

  8. Mauricio Arruda

    10/11/2012 11:16:41

    Caro Adelço,Tupã fica na Alta Noroeste e não na Alta Paulista.

  9. Adelço Wanderley Vizu

    10/11/2012 10:40:27

    Tal qual Domingos da Guia, Ademir de Menezes teve a grande honra de vestir o manto sagrado do Tupã Futebol Clube, esquadrão da metrópole bi campeã do progresso. O fato ocorreu em Tupã, onde o Vasco disputou um amistoso e o Ademir jogou 45 minutos pelo tricolor da Alta Paulista.Adelço.

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso